Com o final da La Liga conquistada pelo Real Madrid e com Messi como principal artilheiro, apresentamos-lhe a relação entre a valorização dos plantéis e a posição alcançada no campeonato bem como o impacto na referida valorização devido à pandemia do COVID-19.

O grande vencedor nesta análise é, sem dúvida, o Granada CF ao alcançar a 7ª posição no campeonato apresentando o plantel com o menor valor de mercado (22 milhões de Euros em 07/2019 e 52 milhões em 07/2020). Para este feito, muito contribuiram Carlos Fernández, Darwin Machis, Antonio Puertas e Roberto Soldado marcando 31 dos 52 golos da equipa mas também as boas exibições de Yangel Herrera e Victor Díaz. Recordamos que o Granada CF, na presente época, apresentou também apenas o 5º salário médio por jogador mais baixo da competição conforme apresentámos anteriormente aqui.

O CA Osasuna destacou-se igualmente alcançando a 10ª posição no campeonato com o 3º plantel menos valorizado no início da competição e o salário médio por jogador mais baixo da La Liga.  No clube de Pamplona destacaram-se fundamentalmente Chimy Avila, Pervis Estupiñán, Rúben Garcia e Roberto Torres.

Por outro lado, a grande desilusão acabou por ser o RCD Espanyol que, com um plantel actualmente avaliado em cerca de 130 milhões de Euros e o 11º mais valioso no início da temporada, não foi capaz de abandonar o último lugar da liga espanhola e irá competir na segunda divisão em 2020/2021.

Entre 1 de Abril e 15 de Junho os valores de mercado dos plantéis sofreram uma quebra abrupta devido à pandemia, na ordem dos 20%, com o principal prejudicado a ser o FC Barcelona devido à desvalorização dos seus jogadores em cerca de 200 milhões de Euros. Com o reatamento dos campeonatos estes valores têm vindo lentamente a subir em alguns casos.