Artigos

Com o final da Liga NOS conquistada pelo FC Porto e com Carlos Vinicius do SL Benfica como principal artilheiro, apresentamos-lhe a relação entre a valorização dos plantéis e a posição alcançada no campeonato bem como o impacto na referida valorização devido à pandemia do COVID-19.

O grande vencedor nesta análise é, sem dúvida, o Gil Vicente FC ao alcançar a 10ª posição no campeonato apresentando o plantel com o menor valor de mercado (5 milhões de Euros em 07/2019 e 10 milhões em 07/2020). Para este feito, muito contribuiram as boas exibições de Henrique Gomes, Sandro Lima (10 golos marcados na Liga) e Ygor Nogueira.

O FC Famalicão destacou-se igualmente alcançando a 6ª posição no campeonato com o 12º plantel mais valorizado no início da competição. No clube de Famalicão destacaram-se fundamentalmente Fábio Martins com 12 golos marcados, Diogo Gonçalves, Pedro Gonçalves e Toni Martinez com 10 golos marcados.

Por outro lado, a grande desilusão acabou por ser o Portimonense SC que, com um plantel actualmente avaliado em cerca de 17 milhões de Euros e o 6º mais valioso no início da temporada, não foi capaz de abandonar o 17º lugar da liga portuguesa e irá competir na segunda divisão em 2020/2021.

Valores de mercado correspondentes a 15/07/2019 e 15/07/2020.

Desvalorização COVID-19 – diferença entre o valor de mercado a 01/04/2020 e 15/06/2020.

Valores em milhões de Euros.

Com a decisão de todos os jogos a partir da 25ª jornada serem realizados à porta fechada, apesar de ainda faltarem cumprir 3 jornadas para o final do campeonato, o Football Industry apresenta-lhe o ranking de assistências nos estádios da edição de 2019/2020 da Liga NOS.

Face a este novo paradigma, os clubes realizaram apenas 12 jogos com público com excepção do FC Paços de Ferreira com 13 e do Portimonense com 11. Este facto, levou a uma perda estimada de cerca de 1 milhão de espectadores com o consequente impacto nas receitas de bilhética e quotizações dos clubes.

Tal como nas épocas anteriores, as disparidades entre os chamados “3 Grandes” (SL Benfica, FC Porto e Sporting CP) são assinaláveis. Na época que ainda decorre, os três clubes registaram 59% do total de espectadores da competição com uma média de 39.446 adeptos por jogo e uma taxa de ocupação média de 71%. Estes números contrastam com os dos restantes 15 clubes da Liga NOS: registaram 41% do total de espectadores da competição, uma média de 5.479 adeptos por jogo e uma taxa média de ocupação de 44%.