Artigos

O índice “Football Industry Return on Investment Index” procura analisar o impacto do investimento realizado pelos clubes no mercado de transferências de 2013/14 no seu desempenho na liga nacional. Este impacto é verificado comparando os pontos acumulados pelo clube até ao momento com o número que apresentava em 2012/13, à mesma jornada, sendo esta diferença posteriormente confrontada com o investimento realizado.
A título de exemplo, o Liverpool, à 17ª jornada da época corrente, apresenta um crescimento de 0,23 pontos, face a 2012/13, por cada milhão de Euros investido no mercado de transferências de 2013/14.
[table id=321 /]
NOTAS: (1) Pontos Adicionais por cada Milhão Investido = Diferença Pontual, à mesma jornada, entre 2013/14 e 2012/13 : Investimento realizado no Mercado de Transferências de 2013/14; (2) Taxa de Câmbio 01 Novembro de 2013: 1 GBP = 1,19708 EUR; (3) Apenas foram consideradas as equipas que permaneceram nas ligas analisadas entre 2012/13 e 2013/14; (4) Dados analisados até 24 de Dezembro de 2013: Bundesliga – 17ª jornada, Ligue 1 – 19ª jornada, Liga BBVA – 17ª jornada, Barclays Premier League – 17ª jornada, e Serie A – 17ª jornada.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Numa altura em que as principais ligas se encontram paradas devido aos compromissos das selecções nacionais, o Football Industry apresenta-lhe uma lista de 50 jogadores que têm sido influentes nas suas equipas em 2013/2014 tendo sido responsáveis por uma percentagem significativa do total de golos das mesmas nas ligas locais.
Nesta lista destacam-se dois portugueses: Cristiano Ronaldo (46% dos golos do Real Madrid) e Nélson Oliveira (44% dos golos do Rennes).
[table id=314 /]
Siga-nos no Facebook! http://facebook.com/footballindustry

Numa altura em que se aproxima o mercado de transferências de Inverno, o Football Industry apresenta-lhe o investimento realizado pelos clubes das 5 principais ligas europeias no verão de 2013 (Barclays Premier League, Bundesliga, Liga BBVA, Ligue 1 e Serie A).
Real Madrid, Monaco, Tottenham, Manchester City e Paris Saint-Germain destacaram-se dos restantes clubes tendo estado envolvidos em transferências milionárias de estrelas como Bale, Isco, Falcao, James Rodriguez, Lamela, Soldado, Fernandinho, Negredo, Cavani e Marquinhos.
[table id=312 /]
Siga-nos no Facebook! http://facebook.com/footballindustry

According to the data provided by the Liga de Fútbol Profesional and the newspaper Marca, Barcelona and Real Madrid have, at this early stage of the season, an overall salary cost close to 190 million per year. The disparity between these two giants and the other clubs from Liga BBVA (Spanish League) is also clear in this point since Atlético Madrid, ranked third in this list, only presents a wage cost between 65 and 67 million Euros (about 35% of the first two).
At the beginning of this year, was agreed a salary cap for the Spanish clubs according to their revenues.
2013/2014 Liga BBVA’s Salary Cap
[table id=299 /]
Follow us on Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry?fref=ts

In the document below, we present the amounts received in the past four years by the 32 teams participating in the 2013/2014 edition of UEFA Champions League.
These values ​​allow us to assess the differences between and within groups. Thus, groups H (Barcelona, AC Milan, Ajax and Celtic) and D (Bayern Munchen, CSKA Moskva, Manchester City and Viktoria Plzen) are the ones that, in aggregate, gathered the highest amount of revenues distributed by UEFA in the last four seasons. Group G is on the opposite side (FC Porto, Zenit, Atletico Madrid and Austria Wien) gathering only 98.4 million Euros. Group D also includes the top-team with the largest share in the total group’s bonus (Bayern Munchen).
Regarding the disparity between clubs from the same group, considering the difference in the weight of each club compared with the total bonuses of the group, it appears that groups F (Arsenal, Borussia Dortmund, Olympique Marseille and Napoli) and C (SL Benfica, Olympiacos, Paris Saint-Germain and Anderlecht) are the most balanced ones. Group A (Manchester United, Shakhtar Donetsk, Bayer Leverkusen and Real Sociedad) is at the opposite side.
Check the document below for a more detailed analysis.
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/The-Clubs-of-the-2013-14-Champions-League-Group-Stage.pdf” save=”0″]
Notes: (1) For the purposes of this research, we considered the values ​​distributed by UEFA to the clubs competing in the UEFA Champions League and UEFA Europa League between 2009/10 and 2012/13, (2) The figures shown do not include market pool revenues.
Follow us on Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

De acordo com dados facultados pela Liga de Fútbol Profesional e pelo jornal Marca, o Barcelona e o Real Madrid apresentam, nesta fase inicial da época, um custo salarial global de quase 190 milhões de Euros/ano. A grande disparidade entre estes dois gigantes do futebol mundial e os restantes clubes da Liga BBVA (Liga Espanhola) verifica-se também neste aspecto dado que o Atlético de Madrid, terceiro classificado neste ranking, apenas apresenta um custo salarial anual entre os 65 e os 67 milhões de Euros (cerca de 35% dos dois primeiros).
No início do ano foi acordado um tecto salarial para os clubes espanhóis estando este dependente das receitas geradas pelos mesmos.
Limite Salarial na Liga BBVA 2013/2014
[table id=282 /]
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry?fref=ts

Na passada quinta-feira, realizou-se o sorteio da fase de grupos da edição de 2013/2014 da UEFA Champions League. Neste sentido, o Football Industry recolheu os prémios de desempenho recebidos pelos clubes participantes nas competições da UEFA entre 2009/2010 e 2012/2013 (não incluem as receitas de market pool).
No documento em baixo, poderá consultar os valores recebidos pelas 32 equipas presentes na fase de grupos da UEFA Champions League 2013/2014 nos últimos quatro anos.
Estes valores permitem-nos também analisar as disparidades entre os grupos sorteados e entre as equipas de cada grupo. Assim, os grupos H (Barcelona, AC Milan, Ajax e Celtic) e D (Bayern Munchen, CSKA Moskva, Manchester City e Viktoria Plzen) são aqueles que, em termos agregados, reúnem o maior montante de prémios da UEFA recebidos nos últimos quatro anos. Paralelamente, o grupo G encontra-se no lado oposto (FC Porto, Zenit, Atlético de Madrid e Austria Wien) reunindo apenas 98,4 milhões de Euros. O grupo D inclui também o cabeça-de-série com o maior peso no total de prémios do seu grupo (Bayern Munchen).
Relativamente à disparidade entre os clubes do mesmo grupo, considerando a diferença do peso de cada clube face ao total de prémios do seu grupo, verifica-se que os grupos F (Arsenal, Borussia Dortmund, Olympique Marseille e Napoli) e C (SL Benfica, Olympiacos, Paris Saint-Germain e Anderlecht) são os mais equilibrados. O grupo A (Manchester United, Shakhtar Donetsk, Bayer Leverkusen e Real Sociedad) encontra-se no polo contrário.
No documento em baixo poderá consultar uma análise mais detalhada.
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/Prémios_Equipas_Fase_Grupos_CL_13-14.pdf” save=”0″]
Notas: (1) Foram considerados os valores atribuídos pela UEFA aos clubes que participaram na UEFA Champions League e UEFA Europa League entre 2009/10 e 2012/13; (2) Os valores apresentados não incluem as receitas de market pool.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Na edição de 2011/2012 da Liga BBVA, a Liga Espanhola, o Real Madrid, o Barcelona e o Valencia terminaram o campeonato na posição correspondente à que ocuparam no ranking por salário médio anual pago por jogador nessa época.
De uma perspetiva positiva, o Levante conseguiu alcançar o 6º posto na competição registando o valor salarial mais baixo entre os 20 clubes da liga espanhola. Na perspetiva oposta, o Villareal foi o caso de menor sucesso ficando apenas na 18ª posição com o 7º salário anual médio por jogador mais elevado, descendo assim de divisão.
Globalmente, o salário anual médio por jogador na Liga BBVA decresceu 11% entre 2010/2011 e 2011/2012 passando de cerca de 1,58 para 1,41 milhões de Euros. Em 7 dos 17 clubes que se mantiveram na principal divisão do futebol espanhol, registou-se uma subida do valor médio pago, sendo o Malaga o caso mais significativo (crescimento de 116%).
Finalmente, é também de salientar a grande diferença entre o valor médio do Real Madrid e do Barcelona comparativamente com os restantes clubes. O valor do Real Madrid é 11,1 vezes superior ao do Racing Santander, clube que apresenta o montante mais baixo.
[table id=250 /]
Nota: Taxa de câmbio a 14 de Junho de 2013: 1 GBP = 1,1771 EUR