Artigos

Diego Costa, jogador do Atlético de Madrid, tem estado imparável tendo marcado, até ao momento, 13 golos em 13 jogos oficiais. O atleta que já passou pelo SC Braga e pelo FC Penafiel, é o melhor marcador dos 5 principais campeonatos europeus (Liga BBVA, Ligue 1, Barclays Premier League, Serie A e Bundesliga).
No quadro em baixo, apresentamos alguns dados dos 6 melhores marcadores das referidas ligas. No período analisado, Diego Costa foi o jogador que apresentou a média de golos por jogo mais elevada (1,1 golos por jogo). Simultaneamente, foi também aquele que apresentou uma taxa de eficácia mais elevada sendo que 31% dos seus remates foram transformados em golo.
[table id=306 /]
DATA PROVIDER: WhoScored.com
whoscored_logo
 
 
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

A Barclays Premier League está a ter o início com menos golos desde 2006/2007 tendo sido marcados, até à 8ª jornada de 2013/2014, inclusive, 196 golos (média de 25 por jornada e 2,7 por jogo). Nas últimas 8 épocas, a edição de 2009/2010 foi a que apresentou um maior número de golos até à 8ª jornada (total de 243 golos, média de 30 por jornada e 3,4 por jogo).
Dados até à 8ª jornada, inclusive:
[table id=305 /]
Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/FootballIndustry

A AS Roma tem estado em grande forma neste início de época contando com 8 vitórias em 8 jogos da Serie A 2013/2014 e tendo marcado 22 golos (média de 2,75 por jogo) e sofrido apenas 1.
À 8ª jornada das 5 principais ligas europeias (Serie A, Liga BBVA, Ligue 1, Barclays Premier League e Bundesliga), a AS Roma é a equipa que apresenta a melhor defesa (1 golo sofrido), encontrando-se à frente de Bayern Munchen e Southampton (3 golos sofridos), registando apenas menos golos marcados do que o Barcelona (28 vs. 22).
1. AS Roma vs. Primeiros Classificados das Restantes Principais Ligas à 8ª Jornada de 2013/2014
No quadro seguinte, apresentamos alguns dados estatísticos que permitem comparar o desempenho da AS Roma com os clubes que, à 8ª jornada de 2013/2014, lideram/lideravam as restantes 4 principais ligas europeias, nomeadamente, o Barcelona (Liga Espanhola), Bayern Munchen (Liga Alemã), Monaco (Liga Francesa) e Arsenal (Liga Inglesa). Deste modo, verifica-se que o clube italiano tem apresentado óptimos indicadores sendo apenas ultrapassado, na maioria dos casos, pelos poderosos Barcelona e Bayern Munchen. Do conjunto de clubes analisados, a AS Roma e o Barcelona foram os únicos a vencer todos os jogos que disputaram.
[table id=302 /]
2. 7 Jogadores da AS Roma em Destaque em 2013/2014
A AS Roma apresenta, neste momento, um plantel composto por atletas de 13 nacionalidades onde a mais representada é a italiana (36%). A idade média dos seus jogadores é de 26 anos.
Em termos gerais, os onze jogadores mais utilizados por Rudi Garcia, treinador da AS Roma, têm estado em grande forma, contudo, 7 deles têm-se destacado dos restantes, sendo que 3 são contratações para 2013/2014 (Strootman, Gervinho e Benatia). Em baixo, apresentamos os dados estatísticos dos 7 jogadores até à 8ª jornada da Serie A, inclusive.
[table id=303 /]
3. Transferências no Verão de 2013/2014
No verão de 2013/2014, o clube italiano realizou vendas importantes, como foram os casos de Marquinhos para o Paris Saint-Germain e Lamela para o Tottenham. As vendas efectuadas neste período permitiram à AS Roma encaixar cerca de 110 milhões de Euros investindo depois quase 69 milhões em contratações. As aquisições mais sonantes foram Strootman (ex-PSV Eindhoven), Benatia (ex-Udinese), Ljajic (ex-Fiorentina) e Gervinho (ex-Arsenal) que têm estado em bom plano.
[table id=304 /]
4. 11 Tipo da AS Roma nas 8 primeiras jornadas da Serie A 2013/2014 (4x3x3)
Morgan De Sanctis; Maicon, Benatia, Castán e Balzaretti; De Rossi, Pjanic e Strootman; Florenzi, Gervinho e Totti.
Notas: (1) Taxa de Câmbio 18/10/2013: 1 GBP = 1,18112 EUR; (2) Dados recolhidos a 19 de Outubro de 2013; (3) Dados até à 8ª jornada dos campeonatos analisados, inclusive.
DATA PROVIDER: WhoScored.com
whoscored_logo
 
 
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

At the beginning of the 2013/2014 season there were some changes in the current shirt sponsors of Barclays Premier League clubs. Simultaneously, most of the annual figures have also been updated.
At this time, the total amount reaches approximately 197.9 million Euros with 77% of this value belonging to the six top clubs, including Arsenal, Manchester United, Liverpool, Manchester City, Tottenham and Chelsea. These figures contrast with a total amount of approximately 175.3 million Euros in 2012/2013 (61% belonging to the aforementioned six clubs) representing an increase of about 13%.
Barclays Premier League Shirt Sponsors Ranking (2013/14 vs. 2012/13)
[table id=298 /]
Follow us on Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry
 

Typically, certain leagues present a very significant players rotation between national and foreign clubs. This situation tends to occur mainly in leagues considered less competitive and known as markets in which clubs aim to develop young talents and sell them to teams with more financial power.
In this sense, Football Industry compared clubs’ lineups on the last matchday of 2012/2013 with the ones presented on matchday 1 of 2013/2014. We analyzed the following competitions: Bundesliga (Germany), Liga BBVA (Spain), Ligue 1 (France), Eredivisie (Netherlands), Barclays Premier League (England) and Liga ZON Sagres (Portugal).
GLOBAL PERSPECTIVE
In general terms, Spanish and Portuguese leagues present the highest average number of changes in the starting 11, mainly with players who were not part of the squads in 2012/2013.
Barclays Premier League and Bundesliga, considered, at this time, the most competitive leagues, show the lowest average number of lineup changes, equally distributed between players who were part of the squads in 2012/2013 and were signed for 2013/2014.
[table id=295 /]
IMPACT OF A NEW COACH
When analyzing the impact of the arrival of a new coach at the start of 2013/2014, we can observe that, on average, only in the Netherlands and Portugal this situation led to a higher number of changes in the starting 11.
[table id=296 /]
[table id=297 /]
This research was discussed on the TV show “Maisfutebol“, of TVI24, on the 23rd of August.
[youtube id=”cgW0Yi74h0U”]
NOTES: 1.Only were considered clubs that remained in the analyzed leagues between 2012/13 and 2013/14; 2.Signings include loan returns; 3.Sascha Lewandowski left the technical team of Bayer Leverkusen, however, Sami Hyypia remained; 4.The matches of Eredivisie’s play-off were included in the analysis; 5.Italian Serie A was not included because only began on the 25th of August.
Follow us on Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Season tickets are an important part of what is considered the core business of football clubs: matchday revenues. Although this flow has been losing weight compared to commercial revenues and television rights (in 2011/2012 only represented between 14% and 28% of Deloitte Football Money League’s clubs figures), especially in the case of most renowned clubs, the amounts received for season tickets are very important in an early stage of the season (in most cases are paid in cash) and provide a minimum guarantee of attendance throughout the year.
Thus, Football Industry gathered the minimum prices of season tickets for 2013/2014 of the clubs competing in the following leagues: Liga ZON Sagres (Portugal), Bundesliga (Germany), Serie A (Italy), Barclays Premier League (England) and Liga BBVA (Spain).
Portuguese top division clubs charge a minimum average price of 81 Euros for their season seats, a substantially lower amount compared to the ones charged in the other countries included in this analysis. While the Italian and Spanish clubs present minimum average prices and average occupation rates relatively similar (see table below), the English and German ones, despite having high and similar average occupation rates, practice different prices (see table below). This situation has to do with a different strategy and mindset as the clubs from Bundesliga seek to be fully oriented to their fans and, thus, do not follow policies of price increases. This mindset allows, for example, a club like Bayern Munchen to offer a season seat for only 120 Euros.
Regarding the financial impact of buying a season ticket based on the monthly GDP per capita (purchasing power parity), we can conclude that in the Portuguese case, the average minimum price represents 5% of this indicator while in England a fan would have to make an investment equivalent to 25% of the country’s monthly GDP per capita.
Simultaneously, the lower occupation rate presented by Portuguese clubs requires them to perform adjustments on prices. For example, Portugal has 62% of Germany’s GDP per capita while its season tickets minimum average price only corresponds to 37% of the average Bundesliga’s amount (average occupation rate: 40% vs. 92%).
The substantially higher prices charged in England, Italy, Spain and Germany are also related to the fact that the clubs from these countries tend to include other matches besides the national league in their season tickets offer (e.g. national cup matches).
Minimum Average Prices and their Financial Impact
[table id=294 /]
LIST OF CLUBS’ MINIMUM SEASON TICKETS PRICES
 
Notes: (1) Exchange Rates as at August 06, 2013: 1 USD = 0,751496 EUR; 1 GBP = 1,15813 EUR; (2) Were only considered minimum adult standard prices (without any discounts); (3) No prices were considered for season seats renewal.

Amanhã decorrerá no Etihad Stadium o 146º confronto em competições oficiais entre o Manchester City e o Manchester United sendo a 7ª e 8ª posições da Barclays Premier League 2013/2014 ocupadas, respetivamente, por estes dois clubes, neste momento. Como já vem sendo hábito, o Football Industry apresenta um conjunto de quadros comparativos entre ambos os clubes dividido em três áreas distintas: Finanças, Desempenho Desportivo e Web.
O referido comparativo permite-nos ter uma visão global dos dois clubes, da sua dimensão e das possibilidades de ambas as equipas neste confronto e na competição.
FINANÇAS
Ao nível das receitas, o Manchester United apresenta uma situação mais fortalecida ocupando a 3ª posição da Deloitte Football Money League 2013 comparativamente com o 7ª posto do Manchester City. Relativamente à estrutura de receitas dos dois clubes, verifica-se que o City apresenta uma maior dependência face às receitas de direitos televisivos e comerciais enquanto que a estrutura dos reds é mais repartida entre as três áreas. Contudo, nas últimas dez épocas, o Manchester City tem conseguido alcançar um crescimento assinalável, devido ao esforço de crescimento do clube e dos seus proprietários, mais do que triplicando as suas receitas. Verifica-se também que o Manchester United tem apresentado melhores resultados nas competições da UEFA tendo por isso arrecadado receitas superiores através desta via. Simultaneamente, os reds apresentam uma marca mais valiosa e melhores assistências embora o plantel do City seja considerado mais valioso. Finalmente, os blues não apresentaram resultados animadores no seu último relatório e contas, tendo registado um resultado líquido bastante negativo e custos com o pessoal superiores ao do seu rival, embora tendo uma dívida líquida inferior.
[table id=284 /]
DESEMPENHO DESPORTIVO
O Manchester United apresenta também um maior domínio na componente desportiva tendo saído vitorioso por 60 vezes dos 145 confrontos em competições oficiais entre estas equipas comparativamente com os 40 triunfos do Manchester City. Relativamente aos restantes indicadores de desempenho desta época, apresentados na tabela em baixo, verifica-se um maior domínio por parte dos blues.
[table id=285 /]
WEB
No que diz respeito à componente online, a estratégia do Manchester United tem vindo a ser alterada estando agora também presente no Twitter e Google +. Assim, embora o City tenha mais seguidores nestas duas redes sociais, o seu rival domina no Facebook. Nesta rede social, o Manchester City apenas apresenta 17% do número de fãs do seu rival. Em relação aos websites dos dois clubes, atualmente, o manutd.com está melhor colocado tanto a nível nacional como internacional.
[table id=283 /]
Notas: (1) Dados recolhidos a 21 de Setembro de 2013; (2) Na contagem dos troféus foram consideradas as seguintes competições: Campeonato do Mundo de Clubes, UEFA Champions League, Supertaça Europeia, Taça das Taças, Taça Intercontinental, Taça UEFA, Liga Inglesa, Supertaça de Inglaterra, Taça da Liga Inglesa e Taça de Inglaterra.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

No início da época de 2013/2014 registaram-se algumas alterações nos patrocinadores presentes nas camisolas dos clubes da Barclays Premier League. Simultaneamente, a maioria dos valores anuais foram também actualizados.
Neste momento, o valor total ascende a cerca de 197,9 milhões de Euros sendo que 77% deste valor pertence aos seis principais clubes, nomeadamente, ao Arsenal, Manchester United, Liverpool, Manchester City, Tottenham e Chelsea. Estes valores contrastam com um montante global de cerca de 175,3 milhões de Euros em 2012/2013 (61% pertencente aos já referidos seis principais clubes) representando um aumento de aproximadamente 13%.
Lista de Patrocínios nas Camisolas dos Clubes da Barclays Premier League (2013/14 vs. 2012/13)
[table id=281 /]
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry
 

Esta segunda-feira decorrerá em Old Trafford o 160º confronto em competições oficiais entre o Manchester United e o Chelsea a contar para a 2ª jornada da Barclays Premier League 13/14. Tal como sucedeu na época transacta, o Football Industry apresenta um conjunto de quadros comparativos entre ambos os clubes dividido em três áreas distintas: Finanças, Desempenho Desportivo e Web.
O referido comparativo permite-nos ter uma visão global dos dois clubes, da sua dimensão e das possibilidades de ambas as equipas neste confronto e na competição.
FINANÇAS
Relativamente às receitas, o Manchester United apresenta uma situação mais fortalecida ocupando a 3ª posição da Deloitte Football Money League 2013 comparativamente com o 5ª posto do Chelsea. Relativamente à estrutura de receitas dos dois clubes, verifica-se que o Chelsea apresenta uma maior dependência face às receitas de direitos televisivos enquanto que a estrutura dos reds é mais repartida entre as três áreas. Contudo, nas últimas dez épocas, o clube treinado por José Mourinho tem conseguido alcançar um crescimento assinalável, devido ao esforço de crescimento do clube e do seu principal proprietário (crescimento de 141%). Verifica-se também que o Chelsea tem apresentado melhores resultados nas competições da UEFA tendo por isso arrecadado receitas superiores através desta via. Simultaneamente, os reds apresentam uma marca mais valiosa embora o plantel do Chelsea seja considerado mais valioso.
[table id=275 /]
DESEMPENHO DESPORTIVO
O Manchester United apresenta também um maior domínio na componente desportiva tendo saído vitorioso por 67 vezes dos 159 confrontos em competições oficiais entre estas equipas comparativamente com os 46 triunfos do Chelsea. Relativamente aos restantes indicadores de desempenho desta época, apresentados na tabela em baixo, verifica-se um maior equilíbrio entre as equipas.
[table id=276 /]
WEB
Os reds apresentam um maior número de seguidores no Facebook (o clube de Londres tem 52% dos fãs do United), embora ainda não tenham atingido os números do Chelsea no Twitter e Google Plus (apenas aderiram recentemente). Em relação aos websites dos dois clubes, atualmente, o manutd.com está melhor colocado tanto a nível nacional como internacional.
[table id=277 /]
Notas: (1) Dados recolhidos a 26 de Agosto de 2013; (2) Na contagem dos troféus foram consideradas as seguintes competições: Campeonato do Mundo de Clubes, UEFA Champions League, Supertaça Europeia, Taça das Taças, Taça Intercontinental, Taça UEFA, Liga Inglesa, Supertaça de Inglaterra, Taça da Liga Inglesa e Taça de Inglaterra; (3) Taxa de câmbio 26Ago13: 1 GBP = 1,16385 EUR.

Tipicamente, determinadas ligas apresentam uma rotação de jogadores entre clubes internos e externos bastante significativa. Esta situação tende a suceder sobretudo em ligas consideradas menos competitivas e que seguem uma estratégia de formação e exportação de atletas.
Neste sentido, o Football Industry comparou o 11 inicial apresentado pelos clubes na última jornada de 2012/2013 com a equipa que entrou em campo na primeira jornada de 2013/2014. Foram analisadas as seguintes competições: Bundesliga (Alemanha), Liga BBVA (Espanha), Ligue 1 (França), Eredivisie (Holanda), Barclays Premier League (Inglaterra) e Liga ZON Sagres (Portugal).
RESUMO
Em termos gerais, as ligas espanhola e portuguesa apresentam o maior número médio de alterações no 11 inicial, sendo estas referentes, sobretudo, a jogadores que não faziam parte dos plantéis em 2012/2013.
A Bundesliga e a Barclays Premier League, consideradas, neste momento, as mais competitivas, apresentam o valor médio de alterações no 11 inicial mais baixo, distribuído igualmente entre jogadores que já faziam parte dos plantéis e novas contratações para 2013/2014.
[table id=271 /]
IMPACTO DE UM NOVO TREINADOR
Analisando o impacto da chegada de um novo treinador no início de 2013/2014, observa-se que, em termos médios, apenas na Holanda e em Portugal esta situação originou um maior número de alterações face ao 11 inicial apresentado na última jornada da época anterior.
[table id=272 /]
[table id=273 /]
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/Alterações_11_Inicial1.pdf” save=”0″]
Este estudo foi discutido no programa Maisfutebol, da TVI24, no dia 23 de Agosto de 2013.
[youtube id=”cgW0Yi74h0U”]
NOTAS: 1.Apenas foram consideradas as equipas que permaneceram na divisão em análise entre as épocas 12/13 e 13/14; 2.As contratações incluem regressos de empréstimo; 3.Sascha Lewandowski saiu da equipa técnica do Bayer Leverkusen. Contudo, permaneceu Sami Hyypia; 4.No caso da liga holandesa foram incluídos na análise os jogos realizados no play-off; 5.A Serie A italiana não foi incluída dado apenas se iniciar no dia 25 de Agosto.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry