Artigos

Atualmente, os clubes atraem receitas através das suas camisolas de duas formas:
1. Marca que produz o equipamento (Adidas, Nike, etc.);
2. Patrocinador que apresenta o seu logotipo no centro da camisola.
O ranking que apresentamos foca-se no segundo ponto. No entanto, relativamente ao primeiro, neste momento, o Real Madrid apresenta o contrato mais valioso recebendo, em média, 31,5 milhões de Euros por ano da Adidas.
Em Julho de 2012, o Manchester United selou um acordo de 7 anos com a Chevrolet no valor de 430 milhões de Euros estabelecendo um novo recorde. O clube inglês tem sido aquele que melhor tem explorado este fluxo de receita encontrando-se atualmente em negociações com a Nike para melhorar o seu contrato, esperando-se que este se torne o mais elevado do género.
De acordo com a Forbes, apesar de o Real Madrid ser o clube mais valioso na atualidade, apenas apresenta o quinto patrocínio nas camisolas mais elevado. No entanto, aguarda-se um acordo entre o clube e a Emirates que elevará certamente o montante atual.
[table id=169 /]
Notas: (1) Não foram incluídos o contrato de 10 anos do Manchester City com a Etihad no valor de 491,2 milhões de Euros e o contrato de 5 anos do Arsenal com a Emirates no valor de 184,2 milhões de Euros uma vez que estes incluem também os naming rights do estádio e a sua separação não é pública; (2) Taxa de câmbio 26 Abril 2013: 1 USD = 0,767430 EUR; (3) Valores arredondados às centenas de milhar.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

A partir da época 92/93, a anteriormente denominada European Champions Clubs’ Cup, Taça dos Clubes Campeões Europeus, passou a ser conhecida por UEFA Champions League, Liga dos Campeões.
Neste artigo, apresentamos o número de clubes por campeonato que atingiu cada uma das fases desta competição permitindo-nos construir um ranking dos mesmos. Esta análise permite verificar quais os países que mais contribuem para a diversidade de clubes presentes nesta competição da UEFA.
O artigo centra-se no período entre as épocas de 94/95 e 2012/2013 uma vez que em 92/93 e 93/94 o formato adoptado não corresponde ao da edição actual apresentando, nessas épocas, uma fase a eliminar seguida de dois grupos a partir dos quais eram apurados os dois finalistas.
É também importante referir, que a partir de 97/98 a fase de grupos passou a apresentar 6 grupos (anteriormente eram apenas 4), entre 99/00 e 2002/2003 existiram duas fases de grupos, e o facto de os oitavos-de-final apenas terem surgido na época de 2003/2004 na qual voltou a haver apenas uma fase de grupos.
Fase de Grupos
Desde a época de 94/95, 126 clubes, originários de 31 países, participaram na fase de grupos da UEFA Champions League. A maioria dos clubes competem nas consideradas 5 melhores ligas europeias (Big 5), nomeadamente, Espanha, Alemanha, França, Inglaterra e Itália, agregando 40,5% do total de clubes.
[table id=104 /]
Oitavos-de-Final
No que diz respeito aos oitavos-de-final, fase que apenas surgiu na época de 2003/2004, participaram 53 clubes de 16 países, sendo o ranking novamente liderado pela Espanha com 10 clubes e pelos restantes Big 5 (64,2% dos clubes).
[table id=105 /]
Quartos-de-Final
À semelhança da fase anterior, o ranking de presenças nos quartos-de-final da UEFA Champions League é liderado pela Espanha e restantes Big 5, agregando 63,8% dos clubes. Nesta fase participaram 47 clubes de 16 países.
[table id=106 /]
Meias-Finais
Quanto às meias-finais da competição, volta a registar-se o domínio dos Big 5 e a liderança da Espanha juntamente com a Inglaterra (5 clubes), sendo 80,8% dos clubes provenientes dos referidos 5 campeonatos. Nesta fase participaram 26 clubes de 9 países.
[table id=107 /]
Final
Em relação à final da UEFA Champions League, desde 94/95 foi disputada por 16 clubes diferentes provenientes de 7 países. Na principal fase da competição, Inglaterra tem contribuído com mais clubes do que os restantes países (Arsenal, Chelsea, Liverpool e Manchester United).
[table id=108 /]
Nota: Este artigo não pretende apresentar o número de participações por país e clube mas sim o número de clubes de cada campeonato que, desde 94/95, conseguiu alcançar cada uma das fases da UEFA Champions League.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry
Se pretender um relatório mais alargado, por favor, contacte a equipa do Football Industry através do email webmaster@football-industry.com.

PARTE 2 – ANÁLISE GLOBAL (Continuação)
3.Ranking por tipo de receita
Analisando as receitas dos clubes que fizeram parte do Top 20 da Deloitte Football Money League 2013 por tipo de receita (bilheteira, direitos tv e comerciais), verifica-se que o Real Madrid liderou as receitas de bilheteira e direitos televisivos em 2011/2012 mas o Bayern Munich alcançou receitas comerciais mais elevadas. É também relevante salientar a maior importância dos clubes ingleses nas receitas de bilheteira surgindo o Manchester United e o Arsenal à frente de clubes como o Barcelona, o Bayern Munich e o AC Milan.
[table id=19 /]
Comparando os anos de 2005 e 2013, nos casos em que é possível, denota-se, por exemplo, que a evolução do Manchester United se deveu maioritariamente ao crescimento das suas receitas comerciais tendo o mesmo sucedido no caso do Barcelona e do Manchester City.
[table id=20 /]
Nota: Em 2005 a Deloitte optou por apresentar conjuntamente as receitas de bilheteira e direitos televisivos do Bayern Munich.
 
4.Peso dos primeiros do ranking no total de receitas e diferença entre o primeiro e último classificados
O peso dos primeiros clubes do ranking face às receitas totais dos 20 clubes tem vindo a aumentar. Exemplo disso é o Real Madrid que em 2005 era responsável por 8% das receitas e em 2013 por 11% observando-se uma maior polarização mesmo entre os clubes que compõem o ranking da Deloitte.
Esta situação é também verificada através da diferença entre as receitas do primeiro e último classificados. Enquanto que em 2005 o 20º e último classificado (Aston Villa) apresentava 33% das receitas do primeiro (Manchester United), em 2013 o Newcastle United apenas conseguiu gerar 22% das receitas alcançadas pelo líder Real Madrid.
[table id=21 /]
Ir para Deloitte Football Money League 2005-2013 – Parte 3

Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry