Artigos

Artigo originalmente publicado em www.totalfootballanalysis.com.

Iniciamos hoje a publicação de um conjunto de artigos que analisam a relação entre o desempenho desportivo e o salário anual médio pago por jogador pelos clubes dos 5 principais campeonatos europeus (Bundesliga, La Liga, Ligue 1, Premier League, e Serie A). Começaremos pela espectacular liga inglesa, a Barclays Premier League.

Numa primeira fase, iremos analisar individualmente cada época entre 2016/2017 e 2019/2020 (até à jornada 29) de modo a aferir quais os clubes que atingiram melhores resultados entre estas duas variáveis. De seguida, examinaremos os 14 clubes que permaneceram na Premier League durante este período e como se comportaram desportivamente face ao salário médio pago por jogador.

2016/2017

Na edição de 2016/2017 da liga inglesa, o Chelsea sagrou-se campeão apresentando o 3º salário anual médio por jogador mais elevado.

De uma perspectiva positiva, o Bournemouth alcançou a 9ª posição na competição com apenas o 19º salário mais elevado. No lado oposto, o Sunderland foi o caso de menor sucesso terminando a liga no último lugar com o 13º salário médio mais alto.

Apenas o Hull City apresentou a mesma posição no ranking de salários por jogador e na competição.

2017/2018

Na época seguinte, o Manchester City regressou às vitórias vencendo a liga inglesa com o 2º salário anual médio por jogador mais alto.

O Burnley foi a surpresa alcançando a 7ª posição no campeonato apenas com o 18º salário médio mais elevado. Pelo contrário, o West Bromwich terminou a liga na última posição com o 12º salário mais elevado.

O Crystal Palace, Everton e Leicester apresentaram a mesma posição na liga e no ranking de salários.

2018/2019

Na época passada, o Manchester City venceu novamente o campeonato apresentando também, uma vez mais, o 2º salário médio mais elevado.

No lado positivo, a “armada portuguesa” do Wolverhampton, liderada por Nuno Espírito Santo, alcançou o 7º posto com apenas o 14º salário médio por jogador mais alto. De uma perspetiva negativa, o Manchester United e o Southampton foram os casos de menor sucesso terminando a liga na 6ª e 16ª posições com o 1º e 11º salários médios mais elevados.

Apenas o Chelsea e o Arsenal apresentaram as mesmas posições no ranking de salários e no campeonato.

2019/2020

Com 29 jogos realizados, o Liverpool está muito perto de alcançar o título várias décadas depois com o 3º salário médio por jogador mais elevado.

De uma perspectiva positiva, o Sheffield United tem realizado um campeonato incrível encontrando-se na 6ª posição com o salário médio por jogador mais baixo da liga. No lado oposto, o West Ham é, até ao momento, a desilusão encontrando-se no 16º lugar apresentando o 9º salário médio mais elevado.

Apenas o Newcastle tem ocupado a mesma posição no campeonato e no ranking de salário médio por jogador.

2016/2017 a 2019/2020 – Que clube melhor rentabiliza o salário pago aos seus jogadores

Por ultimo, analisamos o desempenho e salários dos 14 clubes que permaneceram na Premier League entre 2016/2017 e 2019/2020.

Os dois gigantes de Manchester são os clubes com o salário anual médio por jogador mais elevado. O Burnley com campanhas brilhantes nas últimas épocas, é o clube com mais sucesso quando comparamos o seu desempenho desportivo com o salário anual médio pago por jogador, tendo alcançado, em média, o 12º lugar apenas com o 18º salário médio mais elevado.

 

A KPMG Football Benchmark divulgou esta quinta-feira a sua 5ª edição do relatório sobre o valor económico dos clubes referente a Janeiro de 2020. Deste modo, devido à crise causada pela pandemia do vírus COVID-19, estes valores terão tendência para descer devido aos necessários ajustes do mercado.

À semelhança dos relatórios anteriores, Real Madrid e Manchester United ocupam os dois primeiros lugares do ranking seguidos pelo Barcelona que passou a ocupar a terceira posição que pertencia ao Bayern Munchen, clube que em 27 anos nunca apresentou resultados financeiros negativos.

Outra novidade desta edição prende-se com a inexistência de clubes da Serie A no Top-10 uma vez que a Juventus caiu para o 11º posto.

O Galatasaray foi o clube que mais cresceu face ao ano anterior (49%) seguido do Paris Saint-Germain e Internazionale.

Por outro lado, o Real Madrid assume o 1º lugar pela terceira vez desde 2016 sobretudo devido às três UEFA Champions League conquistadas e um crescimento de 41% nas receitas comerciais. Já o Manchester United manteve o 2º posto devido à força da sua marca e um EBIT acumulado significativo. No 3º lugar, o Barcelona registou um crescimento de 50% nas receitas operacionais e de 52% nas receitas comerciais desde 2016 levando-o assim a subir um lugar face ao ano passado.

No conjunto dos 32 clubes que fazem parte deste ranking, entre 2016 e 2020, o seu valor cresceu sempre (51% acumulado) principalmente devido a um aumento de 44% nas receitas operacionais ao longo deste período. Todas as rúbricas de receitas aumentaram, sendo as receitas televisivas o principal destaque com um incremento de 65% enquanto que as receitas de matchday e comerciais cresceram 22% e 39%, respectivamente. Outro facto importante, passa pela decrescente dependência de 25 dos 32 clubes face às receitas de matchday.

Simultaneamente é importante referir que, ao longo das 5 edições deste relatório, o peso do Top-10 no total do valor económico dos 32 clubes decresceu 4% cifrando-se actualmente nos 66%.

Relativamente aos clubes, em termos percentuais, desde 2016, o Olympique Lyonnais foi o clube cujo valor mais cresceu (193%) seguido do Tottenham e Internazionale. Em termos absolutos, o Liverpool foi quem mais viu crescer o seu valor económico (1.385 milhões de Euros). Por outro lado, o AC Milan foi o único a perder valor ao longo dos anos. No que respeita aos resultados financeiros (EBIT), o Tottenham é o clube de destaque com um valor acumulado de 439 milhões de Euros.

À porta do ranking de 32 clubes de 2020, ficaram o Celtic FC (Escócia), PSV Eindhoven (Holanda), Olympique de Marseille e AS Monaco (França), Fenerbahçe SK (Turquia) e Sporting CP (Portugal).

Ranking do Valor Económico (Top-32)

 

Ranking de Variação do Valor Económico dos Clubes (2016-2020)

 

Ranking de Variação do Valor Económico por País (2016-2020)

Observando os clubes que fizeram parte das edições deste relatório entre 2016 e 2020, e agregando-os pelo país a que pertencem, verifica-se que o valor dos clubes da Ligue 1 tem sido que mais tem subido (74%). Já em termos absolutos, o 1º posto cabe aos clubes da Premier League (6.225 milhões de Euros).

 

Por último, entre 2016 e 2020, os clubes ingleses foram os que mais ganharam peso no total do valor do top-32, agregando 39% do mesmo em 2016 e 41% em 2020.

Siga-nos no Facebook https://www.facebook.com/FootballIndustry e no Instagram https://www.instagram.com/football.industry/