Artigos

A UEFA Champions League, desde que assumiu esta designação em 1992/1993, leva já 27 edições. Neste período, foram 13 os clubes que a venceram oriundos de 7 países diferentes. O principal destaque vai para os colossos espanhóis Real Madrid CF e FC Barcelona com um total de 11 edições ganhas (41%) que fazem da Espanha o país com mais vitórias na UCL desde 1992/1993.

Apenas por duas vezes a UCL não foi ganha por um clube dos países chamados “Big-5”: em 1994/1995 pelo AFC Ajax (Holanda) e em 2003/2004 pelo FC Porto (Portugal).

 

Em teoria, países com maior população aliada a infraestruturas e profissionais de qualidade, terão tendência para apresentarem instituições desportivas mais capazes de alcançar títulos importantes, como é o caso, por exemplo, da Alemanha. No entanto, devem ser considerados vários factores de modo a retirarmos conclusões válidas. Um deles prende-se com o volume da população do país. Neste aspecto, Espanha e Portugal são os que apresentam melhor rácio quando comparamos o número de edições ganhas com o volume populacional.

Siga-nos no Facebook https://www.facebook.com/FootballIndustry e no Instagram https://www.instagram.com/football.industry/

Tipicamente, determinadas ligas apresentam uma rotação de jogadores entre clubes internos e externos bastante significativa. Esta situação tende a suceder sobretudo em ligas consideradas menos competitivas e que seguem uma estratégia de formação e exportação de atletas.
Neste sentido, o Football Industry comparou o 11 inicial apresentado pelos clubes na última jornada de 2012/2013 com a equipa que entrou em campo na primeira jornada de 2013/2014. Foram analisadas as seguintes competições: Bundesliga (Alemanha), Liga BBVA (Espanha), Ligue 1 (França), Eredivisie (Holanda), Barclays Premier League (Inglaterra) e Liga ZON Sagres (Portugal).
RESUMO
Em termos gerais, as ligas espanhola e portuguesa apresentam o maior número médio de alterações no 11 inicial, sendo estas referentes, sobretudo, a jogadores que não faziam parte dos plantéis em 2012/2013.
A Bundesliga e a Barclays Premier League, consideradas, neste momento, as mais competitivas, apresentam o valor médio de alterações no 11 inicial mais baixo, distribuído igualmente entre jogadores que já faziam parte dos plantéis e novas contratações para 2013/2014.
[table id=271 /]
IMPACTO DE UM NOVO TREINADOR
Analisando o impacto da chegada de um novo treinador no início de 2013/2014, observa-se que, em termos médios, apenas na Holanda e em Portugal esta situação originou um maior número de alterações face ao 11 inicial apresentado na última jornada da época anterior.
[table id=272 /]
[table id=273 /]
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/Alterações_11_Inicial1.pdf” save=”0″]
Este estudo foi discutido no programa Maisfutebol, da TVI24, no dia 23 de Agosto de 2013.
[youtube id=”cgW0Yi74h0U”]
NOTAS: 1.Apenas foram consideradas as equipas que permaneceram na divisão em análise entre as épocas 12/13 e 13/14; 2.As contratações incluem regressos de empréstimo; 3.Sascha Lewandowski saiu da equipa técnica do Bayer Leverkusen. Contudo, permaneceu Sami Hyypia; 4.No caso da liga holandesa foram incluídos na análise os jogos realizados no play-off; 5.A Serie A italiana não foi incluída dado apenas se iniciar no dia 25 de Agosto.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

A UEFA revelou, esta semana, os prémios atribuídos aos clubes que disputaram a edição de 2012/2013 da UEFA Champions League (CL) e da UEFA Europa League (EL).
Neste âmbito, apresentamos de seguida um balanço da prestação dos clubes participantes nestas competições entre as épocas 2009/2010 e 2012/2013 (período após o processo de rebranding da UEFA Cup).
Os prémios atribuídos pela UEFA aos clubes que alcançam a fase de grupos destas competições, assentam nos seguintes pontos (valores de 2012/2013):
1. Prémio de participação: igual para todos os clubes (8,6 milhões de Euros na CL 12/13 e 1,3 milhões de Euros na EL 12/13);
2. Prémios pela performance na Fase de Grupos: 1 milhão de Euros por cada vitória e 500 mil por cada empate na CL 12/13 e 200 mil por cada vitória e 100 mil por cada empate na EL 12/13;
3. Market Pool: valor de direitos televisivos distribuídos de acordo com o valor do mercado televisivo do país de origem do clube;
4. Classificação alcançada na Fase de Grupos (apenas na EL): prémio atribuído ao 1º e 2º classificados de cada grupo (400 mil Euros para o 1º classificado e 200 mil Euros para o 2º);
5. Dezasseis-avos-de-final (apenas na EL): prémio pela passagem a esta fase da prova (200 mil Euros na EL 12/13);
6. Oitavos-de-final: prémio pela passagem a esta fase da prova (3,5 milhões de Euros na CL 12/13 e 350 mil Euros na EL 12/13);
7. Quartos-de-final: prémio pela passagem a esta fase da prova (3,9 milhões de Euros na CL 12/13 e 450 mil Euros na EL 12/13);
8. Meias-finais: prémio pela passagem a esta fase da prova (4,9 milhões de Euros na CL 12/13 e 1 milhão de Euros na EL 12/13);
9. Finalista vencido: 6,5 milhões de Euros na CL 12/13 e 2,5 milhões de Euros na EL 12/13;
10. Vencedor: 10,5 milhões de Euros na CL 12/13 e 5 milhões na EL 12/13;
11. Há também que considerar o Market Pool distribuído pelas equipas que participaram na EL provenientes da CL por terem atingido o 3º lugar na fase de grupos da desta competição.
Desta forma, no período em análise, o Chelsea foi o clube que arrecadou o maior montante entre 2009 e 2013 (178 milhões de Euros). No Top 10 encontram-se três clubes de Inglaterra (Chelsea, Manchester United e Arsenal), três de Itália (AC Milan, Internazionale e Juventus), dois de Espanha (Barcelona e Real Madrid) e dois da Alemanha (Bayern Munchen e Borussia Dortmund). No que respeita às equipas portuguesas, o FC Porto surge no 17º lugar, o SL Benfica em 18º, o SC Braga em 42º e o Sporting CP em 77º.
No período em análise, participaram 146 clubes de 34 países diferentes nestas competições. Analisando a distribuição dos prémios por país, verifica-se que a Inglaterra foi o país que arrecadou o montante mais elevado (647 milhões de Euros) tendo sido representada por onze clubes, seguida da Espanha com 560 milhões de Euros e representada por dez clubes. Portugal, encontra-se no sexto lugar com 161 milhões de Euros tendo sido representado por sete clubes.
No período em análise, a UEFA distribuiu cerca de 3.804 milhões de Euros pelos clubes participantes na fase de grupos em diante destas competições.
TOP 50 – CLUBES QUE RECEBERAM MAIS RECEITAS DA UEFA (09/10 a 12/13)
[table id=263 /]
RESUMO POR PAÍS – Todos os Clubes Participantes entre 09/10 e 12/13 (146 Clubes)
[table id=264 /]
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Após o enorme sucesso desportivo do Bayern Munchen esta temporada, o clube alemão assumiu a liderança da edição de 2013 do ranking elaborado pela Brand Finance que integra os 50 clubes com as marcas mais valiosas do futebol mundial.
No sentido inverso, o Manchester United passou a ocupar o segundo lugar do ranking sendo, no entanto, além do Real Madrid, a única equipa com um rating AAA+ atribuído pela Brand Finance.
Os clubes espanhóis e italianos viram o seu crescimento ser afetado por condições económicas adversas. Por outro lado, os clubes brasileiros e turcos registaram taxas de crescimento significativas associadas às economias emergentes dos seus países e à paixão dos seus adeptos.
O crescimento médio das 50 marcas que integram o ranking foi de 7% somando, em conjunto, um valor total de 6.647 milhões de Euros. Atualmente, os 50 clubes representados estão associados a 10 diferentes fornecedores de equipamento desportivo (a liderança pertence à Adidas com 18 clubes seguida da Nike com 14).
[table id=235 /]
O ranking inclui clubes originários de dez países diferentes sendo a Inglaterra e a Alemanha os dois mais representados (14 e 8 clubes respetivamente) agregando mais de 50% do valor total das 50 marcas.
[table id=236 /]
Nota: Taxa de câmbio 29 Maio de 2013: 1 USD = 0,772821 EUR.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry