Artigos

Ao longo da época 2012/2013, os clubes que competiram nos 5 principais campeonatos europeus (Barclays Premier League, Serie A, Liga BBVA, Ligue 1 e Bundesliga) apresentaram 14 esquemas táticos diferentes tendo-se registado uma diversidade significativa na Liga Italiana.
Actualmente, o esquema mais utilizado é o 4-2-3-1 tendo sido apresentado por mais de metade dos clubes, exceto em Itália, sendo que, no caso da Liga Espanhola, foi adotado por 90% das equipas ao longo da última época.
[table id=245 /]
Nota: Foram considerados os esquemas táticos utilizados pelos clubes em mais de 50% dos jogos realizados nas competições acima referidas.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Após o enorme sucesso desportivo do Bayern Munchen esta temporada, o clube alemão assumiu a liderança da edição de 2013 do ranking elaborado pela Brand Finance que integra os 50 clubes com as marcas mais valiosas do futebol mundial.
No sentido inverso, o Manchester United passou a ocupar o segundo lugar do ranking sendo, no entanto, além do Real Madrid, a única equipa com um rating AAA+ atribuído pela Brand Finance.
Os clubes espanhóis e italianos viram o seu crescimento ser afetado por condições económicas adversas. Por outro lado, os clubes brasileiros e turcos registaram taxas de crescimento significativas associadas às economias emergentes dos seus países e à paixão dos seus adeptos.
O crescimento médio das 50 marcas que integram o ranking foi de 7% somando, em conjunto, um valor total de 6.647 milhões de Euros. Atualmente, os 50 clubes representados estão associados a 10 diferentes fornecedores de equipamento desportivo (a liderança pertence à Adidas com 18 clubes seguida da Nike com 14).
[table id=235 /]
O ranking inclui clubes originários de dez países diferentes sendo a Inglaterra e a Alemanha os dois mais representados (14 e 8 clubes respetivamente) agregando mais de 50% do valor total das 50 marcas.
[table id=236 /]
Nota: Taxa de câmbio 29 Maio de 2013: 1 USD = 0,772821 EUR.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Após a final da UEFA Champions League, apresentamos alguns números-chave da edição de 2012/2013 referentes aos jogos, equipas e jogadores que fizeram parte desta competição.
 
– Jogos: 124
– Equipas: 32
– Jogadores: 704 (média de 22 por equipa)
– Golos: 365 (2,9 por jogo)
– Golos Minuto 1-15: 41 (11,1%)
– Golos Minuto 16-30: 55 (14,9%)
– Golos Minuto 31-45: 61 (16,5%)
– Golos Descontos 1ª Parte: 7 (1,9%)
– Golos Minuto 46-60: 59 (15,9%)
– Golos Minuto 61-75: 57 (15,4%)
– Golos Minuto 76-90: 68 (18,4%)
– Golos Descontos 2ª Parte: 22 (5,9%)
– Golos 1ª Parte do Prolongamento: 0 (0%)
– Golos 2ª Parte do Prolongamento: 0 (0%)
– Foras de Jogo: 662 (5,3 por jogo)
– Faltas: 3.395 (27,4 por jogo)
– Cantos: 1.296 (10,5 por jogo)
– Cartões Amarelos: 545 (4,4 por jogo)
– Cartões Vermelhos: 20 (0,2 por jogo)
– Top 3 Melhores Marcadores: 1º – Cristiano Ronaldo, Real Madrid (12 Golos; Eficácia 16%; um golo a cada 90 minutos); 2º – Robert Lewandowski, Borussia Dortmund (10 Golos; Eficácia 22%; um golo a cada 109 minutos); 3º – Burak Yilmaz, Galatasaray (8 Golos; Eficácia 24%; um golo a cada 96 minutos)
– Top 3 Assistências: 1º –Zlatan Ibrahimovic, PSG (7); 2º – Karim Benzema, Real Madrid (5); 3º – Mesut Ozil, Real Madrid (5)
– Top 3 Remates à Baliza: 1º – Cristiano Ronaldo, Real Madrid (53 Remates, 4,4 por jogo); 2º – Lionel Messi, Barcelona (28 Remates, 2,5 por jogo); 3º – Robert Lewandowski, Borussia Dortmund (26 Remates, 2 por jogo)
– Equipas com mais Golos por Jogo: 1º – Chelsea, Inglaterra (2,67); 2º – Bayern Munchen, Alemanha (2,38); 3º –Real Madrid, Espanha (2,17)
– Golos por Jogo Finalistas: Bayern Munchen, Alemanha (2,38); Borussia Dortmund, Alemanha (1,85)
– Top 3 Equipas com mais Remates à Baliza: 1º – Real Madrid, Espanha (135), 2º – Borussia Dortmund, Alemanha (115); 3º – Bayern Munchen, Alemanha (113)
– Receitas Comerciais Brutas (Euros): 1.340 milhões
– Receitas Distribuídas pelos Clubes Participantes (Euros): 910 milhões
[youtube id=”c_iXyL4GvJY”]
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Em termos agregados, verifica-se que o número de fãs dos clubes presentes nesta edição da Liga BBVA cresceu, entre Abril e Maio de 2013, cerca de 2% (igual ao período anterior), correspondendo a aproximadamente 1,3 milhões de novos seguidores.
Relativamente ao período anterior, registou-se a subida do Atlético Madrid da 4ª para a 3ª posição por troca com o Malaga.
Barcelona e Real Madrid ocupam os dois primeiros lugares sendo responsáveis por 98% do total de fãs dos clubes da Liga BBVA. Após estes dois clubes, surge o Atlético Madrid com apenas 0,6% do número de fãs dos clubes da Liga BBVA.
Finalmente, o Atlético Madrid destacou-se também como o clube que apresentou a maior taxa de crescimento (13%) associado ao seu recente êxito desportivo.
[table id=220 /]
Nota 1: Valores arredondados aos milhares.
Nota 2: Valores recolhidos a 19 de Maio de 2013.

Numa altura em que a maioria dos campeonatos europeus estão prestes a terminar, apresentamos 5 jovens jogadores que se destacaram durante a época naqueles que são considerados os cinco campeonatos mais mediáticos, nomeadamente, a Barclays Premier League (Inglaterra), a Bundesliga (Alemanha), a Liga BBVA (Espanha), a Ligue 1 (França) e a Serie A (Itália).
MARIO GOTZE – Bundesliga
Mario Gotze realizou uma temporada de grande qualidade tendo já sido “premiado” com a transferência para o Bayern Munchen por cerca de 37 milhões de Euros. O jogador destaca-se pela sua capacidade de passe, cruzamento, drible e visão de jogo. Gotze apresentou também uma interessante veia goleadora sendo responsável por 12,5% dos golos do Borussia Dortmund na Bundesliga 12/13 procurando também ajudar a defender (2,8 cortes e interceções por jogo).
[table id=199 /]
[table id=200 /]
ERIK LAMELA – Serie A
Apesar de a AS Roma ter realizado um campeonato modesto, Erik Lamela tem confirmado o valor que lhe era reconhecido. O jovem jogador tem apresentado uma capacidade de drible e remate assinaláveis tendo marcado 21,7% dos golos da sua equipa.
[table id=201 /]
[table id=202 /]
SERGE AURIER – Ligue 1
O jovem da Costa do Marfim, que atua no Toulouse, tem-se revelado um lateral com grande potencial que se mostra forte sobretudo nos cortes, interceções e duelos aéreos mas que ainda necessita de melhorar na componente ofensiva.
[table id=203 /]
[table id=204 /]
MATIJA NASTASIC – Barclays Premier League
O defesa central sérvio que se transferiu da Fiorentina para o Manchester City no início da época tem confirmado o seu potencial e recebido vários elogios apesar do menor poderio demonstrado pelo clube inglês nesta edição da Barclays Premier League. Matija Nastasic tem demonstrado sobretudo uma grande capacidade nos duelos aéreos, embora não o tenha confirmado ofensivamente, uma boa capacidade de passe, forte no corte e poucas faltas cometidas por jogo.
[table id=205 /]
[table id=206 /]
KOKE – Liga BBVA
O médio ofensivo da “cantera” do Atlético Madrid tem-se destacado pela sua capacidade de passe e cruzamento (tem atuado também como extremo) e pela sua contribuição defensiva passando grande parte do jogo pelos seus pés (9% do total de passes da equipa durante a época 12/13).
[table id=207 /]
[table id=208 /]
Notas: (1) Foram considerados jogadores com 21 ou menos anos de idade que atuam nos campeonatos alemão, espanhol, francês, inglês e italiano; (2) Os dados apresentados referem-se às competições acima mencionadas; (3) Dados recolhidos a 18 de Maio de 2013.
DATA PROVIDER: WhoScored.com
whoscored_logo
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Bayern Munchen e Barcelona irão defrontar-se pela 7ª vez, em competições oficiais, esta terça-feira, na primeira mão das meias-finais da UEFA Champions League.
Como já vem sendo hábito, o Football Industry apresenta um conjunto de quadros comparativos entre os dois clubes, dividido em três áreas distintas (Web, Finanças e Desempenho Desportivo), que nos permitirão ter uma visão global das duas equipas, da sua dimensão e das possibilidades de ambas neste confronto e na competição.
WEB
No que diz respeito à componente online, o domínio do Barcelona é avassalador, apresentando um número superior de fãs/seguidores em todas as redes sociais, o que demonstra um grau de internacionalização bastante superior. A título de exemplo, o Bayern apenas regista, neste momento, 16% do número de fãs do Barcelona no Facebook. Em relação aos websites dos dois clubes, neste momento, o fcbarcelona.com está melhor colocado tanto a nível nacional como internacional.
[table id=142 /]
FINANÇAS
Também ao nível das receitas, o Barcelona apresenta uma situação mais fortalecida ocupando a 2ª posição na Deloitte Football Money League 2013 comparativamente com o 4ª posto do Bayern. De facto, a equipa espanhola apresenta valores superiores em todos os fluxos de receita exceto nas comerciais. Relativamente à estrutura de receitas dos dois clubes, verifica-se que o Bayern apresenta uma grande dependência face às receitas comerciais enquanto que a estrutura do Barcelona recai também sobre as receitas de direitos televisivos. Ambos os clubes têm apresentado índices de crescimento elevados e valores semelhantes provenientes de prémios da UEFA. Por último, o Barcelona detém um plantel e marca considerados mais valiosos e assistências médias superiores.
[table id=143 /]
DESEMPENHO DESPORTIVO
Historicamente, o Bayern apresenta melhores resultados nos confrontos diretos entre as duas equipas tendo saído vitorioso por 3 vezes dos 6 jogos em competições oficiais comparativamente com um único triunfo do Barcelona. Relativamente aos restantes indicadores de desempenho desta época, apresentados na tabela em baixo, verifica-se uma maior capacidade por parte do Bayern, à exceção do número de remates à baliza por jogo, posse de bola e eficácia no passe.
[table id=144 /]
Notas: (1) Dados recolhidos a 20 de Abril de 2013; (2) Na contagem dos troféus foram consideradas as seguintes competições: Campeonato do Mundo de Clubes, UEFA Champions League, Supertaça Europeia, Taça das Taças, Taça Intercontinental, Taça UEFA (UEFA Europa League), Taça Intertoto, Liga Alemã, Supertaça da Alemanha, Taça da Liga Alemã, Taça da Alemanha, Liga Espanhola, Supertaça de Espanha, Taça do Rei, Taça da Liga Espanhola, Copa Eva Duarte de Perón e Taça das Cidades com Feiras.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Em termos agregados, verifica-se que o número de fãs dos clubes presentes nesta edição da Liga BBVA cresceu, entre Março e Abril de 2013, cerca de 2% (igual ao período anterior), correspondendo a aproximadamente 1,5 milhões de novos seguidores.
Relativamente ao período anterior, registou-se a subida da Real Sociedad da 15ª para a 14ª posição por troca com o Zaragoza.
Barcelona e Real Madrid ocupam os dois primeiros lugares sendo responsáveis por 98% do total de fãs dos clubes da Liga BBVA. Após estes dois clubes, surge o Malaga com apenas 0,1% do número de fãs do Barcelona.
Finalmente, a Real Sociedad foi o clube que apresentou a maior taxa de crescimento (10%) tendo passado de 20.000 para cerca de 22.000 seguidores.
[table id=140 /]
Nota 1: Valores arredondados aos milhares.
Nota 2: Valores recolhidos a 18 de Abril de 2013.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

É um pensamento que surge frequentemente entre quem acompanha o futebol e o discute diariamente: “as equipas, após serem eliminadas nas competições da UEFA, tendem a apresentar uma quebra de forma”. Será esta afirmação verdadeira?
Neste âmbito, o Football Industry analisou o desempenho das 240 equipas que participaram nas últimas três edições da UEFA Champions League e da UEFA Europa League (2009/2010, 2010/2011 e 2011/2012) nos três jogos que antecederam a sua eliminação nestas competições comparando-os com os três jogos realizados após a referida eliminação.
Nas três épocas analisadas, a maioria das equipas registou uma quebra de forma após ser eliminada das competições da UEFA. Assim, em 2009/2010, 43% das equipas registou piores resultados após terminar a sua participação nas referidas competições, tendo este valor sido de 48% em 2010/2011 e de 40% em 2011/2012.
Em termos globais, os valores são os seguintes:
[table id=134 /]
No entanto, estes valores diferem consoante o campeonato no qual as equipas estão incluídas. Deste modo, apresentamos em baixo, a análise do desempenho das equipas, após a eliminação, por país:
[table id=135 /]
Relativamente aos campeonatos considerados mais competitivos, os Big 5 (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália), verifica-se que a maioria das equipas alemãs, espanholas e italianas registaram uma quebra de forma, enquanto que no caso de Inglaterra a percentagem de equipas com pior e melhor registo se iguala e, no caso das equipas francesas, estas tenderam a registar uma melhoria de forma.
Globalmente, em 15 dos 33 países, os clubes registaram uma quebra de forma, em 8 dos casos melhores resultados, e em 2 não se registaram quaisquer alterações. Nos restantes países verificaram-se percentagens iguais em duas ou mais opções (exemplo: número igual de equipas que pioraram e melhoraram de forma).
 
Notas: (1) Os jogos das competições da UEFA não foram considerados na análise do desempenho das equipas antes e após a eliminação na prova (apenas foram consideradas competições nacionais); (2) Análise realizada a partir da fase de grupos da UEFA Champions League e da UEFA Europa League, inclusive.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry
Se pretender um relatório mais alargado, por favor, contacte a equipa do Football Industry através do email webmaster@football-industry.com.

A partir da época 92/93, a anteriormente denominada European Champions Clubs’ Cup, Taça dos Clubes Campeões Europeus, passou a ser conhecida por UEFA Champions League, Liga dos Campeões.
Neste artigo, apresentamos o número de clubes por campeonato que atingiu cada uma das fases desta competição permitindo-nos construir um ranking dos mesmos. Esta análise permite verificar quais os países que mais contribuem para a diversidade de clubes presentes nesta competição da UEFA.
O artigo centra-se no período entre as épocas de 94/95 e 2012/2013 uma vez que em 92/93 e 93/94 o formato adoptado não corresponde ao da edição actual apresentando, nessas épocas, uma fase a eliminar seguida de dois grupos a partir dos quais eram apurados os dois finalistas.
É também importante referir, que a partir de 97/98 a fase de grupos passou a apresentar 6 grupos (anteriormente eram apenas 4), entre 99/00 e 2002/2003 existiram duas fases de grupos, e o facto de os oitavos-de-final apenas terem surgido na época de 2003/2004 na qual voltou a haver apenas uma fase de grupos.
Fase de Grupos
Desde a época de 94/95, 126 clubes, originários de 31 países, participaram na fase de grupos da UEFA Champions League. A maioria dos clubes competem nas consideradas 5 melhores ligas europeias (Big 5), nomeadamente, Espanha, Alemanha, França, Inglaterra e Itália, agregando 40,5% do total de clubes.
[table id=104 /]
Oitavos-de-Final
No que diz respeito aos oitavos-de-final, fase que apenas surgiu na época de 2003/2004, participaram 53 clubes de 16 países, sendo o ranking novamente liderado pela Espanha com 10 clubes e pelos restantes Big 5 (64,2% dos clubes).
[table id=105 /]
Quartos-de-Final
À semelhança da fase anterior, o ranking de presenças nos quartos-de-final da UEFA Champions League é liderado pela Espanha e restantes Big 5, agregando 63,8% dos clubes. Nesta fase participaram 47 clubes de 16 países.
[table id=106 /]
Meias-Finais
Quanto às meias-finais da competição, volta a registar-se o domínio dos Big 5 e a liderança da Espanha juntamente com a Inglaterra (5 clubes), sendo 80,8% dos clubes provenientes dos referidos 5 campeonatos. Nesta fase participaram 26 clubes de 9 países.
[table id=107 /]
Final
Em relação à final da UEFA Champions League, desde 94/95 foi disputada por 16 clubes diferentes provenientes de 7 países. Na principal fase da competição, Inglaterra tem contribuído com mais clubes do que os restantes países (Arsenal, Chelsea, Liverpool e Manchester United).
[table id=108 /]
Nota: Este artigo não pretende apresentar o número de participações por país e clube mas sim o número de clubes de cada campeonato que, desde 94/95, conseguiu alcançar cada uma das fases da UEFA Champions League.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry
Se pretender um relatório mais alargado, por favor, contacte a equipa do Football Industry através do email webmaster@football-industry.com.

Na edição de 2010/2011 da Liga BBVA, a Liga Espanhola, o Barcelona, o Real Madrid e o Valencia terminaram o campeonato na posição correspondente à que ocuparam no ranking por salário médio anual pago por jogador nessa época.
De uma perspetiva positiva, o Sporting Gijón conseguiu alcançar o 10º posto na competição registando o valor salarial mais baixo entre os 20 clubes da liga. Na perspetiva oposta, o Mallorca foi o caso de menor sucesso ficando apenas na 17ª posição com o 10º salário anual médio por jogador mais elevado.
Além dos clubes já referidos, também o Sevilla e o Athletic atingiram a posição no campeonato correspondente à do ranking de salário anual médio por jogador.
[table id=82 /]
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry