Artigos

O Football Industry publica hoje pela primeira vez um ranking que classifica a eficácia das equipas de 7 dos principais campeonatos europeus, nomeadamente, a Barclays Premier League, Ligue 1, Liga BBVA, Bundesliga, Serie A, Eredivisie e Liga ZON Sagres.
A lista apresentada em baixo foi elaborada tendo por base os golos marcados pelos clubes na respetiva liga até 10 de Novembro de 2013, inclusive, o número médio de remates por jogo e o número de jogos realizados.
Neste momento, o Borussia Monchengladbach é a equipa com o maior índice de eficácia (19,0%). No lado oposto encontram-se a Académica de Coimbra (3,7%) e o Tottenham (4,4%) de André Villas-Boas. As equipas portuguesas com o valor mais elevado até ao momento são o Sporting CP (17,2%), GD Estoril Praia (14,8%) e SL Benfica (13,6%).
Em termos agregados, a Bundesliga apresenta a maior média de eficácia de remate (12,1%) seguida da Eredivisie (11,7%), Liga BBVA (10,7%), Serie A (10,6%), Ligue 1 (10,2%), Liga ZON Sagres (9,9%) e Barclays Premier League (9,2%).
[table id=310 /]
NOTA: Dados recolhidos a 10 de Novembro de 2013.

In the last seasons has been discussed, in several European leagues, the presence of a continuously decreasing number of national players in clubs’ starting 11 and the negative consequences of this fact on national teams performance.
Football Industry analyzed the starting 11 of 148 clubs from 8 different leagues in the first 3 matchdays of 2012/2013 and 2013/2014 in order to:
1 – Check the average number of national players in clubs’ starting 11;
2 – Analyze the disparity between clubs with higher and lower reputation with regard to their bet on local players;
3-Verify the standard starting 11 of each league (by nationalities);
4-Verify which teams have more and less local players in each league; and
5-Check the field position occupied by the Portuguese players chosen for the starting 11 of the clubs competing in Liga ZON Sagres.
In the analyzed period, Eredivisie (Dutch League) was the one with a higher number of national players in its clubs’ starting 11, recording an average of 7.3 players in 2013/2014 and 7.0 in 2012/2013. The Spanish and French Leagues (Liga BBVA and Ligue 1) complete the podium having presented, on average, 6.7 and 5.8 players in each starting 11 in 2013/2014. The German (Bundesliga), Belgian (Jupiler Pro League), English (Barclays Premier League), Italian (Serie A) and Portuguese (Liga ZON Sagres) leagues were also considered in this research.
A complete version of the study can be read below.
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/National-Players-in-the-Starting-11-2012-2013-and-2013-2014.pdf” save=”0″]
This research was discussed on the TV show “Maisfutebol“, of TVI24, on the 18th of October.
[youtube id=”reGx-AuMa9I”]
Follow us on Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Typically, certain leagues present a very significant players rotation between national and foreign clubs. This situation tends to occur mainly in leagues considered less competitive and known as markets in which clubs aim to develop young talents and sell them to teams with more financial power.
In this sense, Football Industry compared clubs’ lineups on the last matchday of 2012/2013 with the ones presented on matchday 1 of 2013/2014. We analyzed the following competitions: Bundesliga (Germany), Liga BBVA (Spain), Ligue 1 (France), Eredivisie (Netherlands), Barclays Premier League (England) and Liga ZON Sagres (Portugal).
GLOBAL PERSPECTIVE
In general terms, Spanish and Portuguese leagues present the highest average number of changes in the starting 11, mainly with players who were not part of the squads in 2012/2013.
Barclays Premier League and Bundesliga, considered, at this time, the most competitive leagues, show the lowest average number of lineup changes, equally distributed between players who were part of the squads in 2012/2013 and were signed for 2013/2014.
[table id=295 /]
IMPACT OF A NEW COACH
When analyzing the impact of the arrival of a new coach at the start of 2013/2014, we can observe that, on average, only in the Netherlands and Portugal this situation led to a higher number of changes in the starting 11.
[table id=296 /]
[table id=297 /]
This research was discussed on the TV show “Maisfutebol“, of TVI24, on the 23rd of August.
[youtube id=”cgW0Yi74h0U”]
NOTES: 1.Only were considered clubs that remained in the analyzed leagues between 2012/13 and 2013/14; 2.Signings include loan returns; 3.Sascha Lewandowski left the technical team of Bayer Leverkusen, however, Sami Hyypia remained; 4.The matches of Eredivisie’s play-off were included in the analysis; 5.Italian Serie A was not included because only began on the 25th of August.
Follow us on Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Nas últimas épocas tem sido discutido nos diversos campeonatos europeus, a presença de um cada vez menor número de jogadores nacionais nos 11 iniciais das equipas, tendo este facto consequências negativas para as respectivas selecções nacionais.
O Football Industry analisou os 11 iniciais de 148 clubes de 8 campeonatos diferentes nas 3 primeiras jornadas de 2012/2013 e 2013/2014 com o intuito de:
1-Verificar o número médio de jogadores nacionais nas equipas titulares;
2-Analisar a disparidade entre os clubes com maior e menor reputação no que respeita à aposta em jogadores locais;
3-Registar a equipa-tipo de cada campeonato (alinhadas por nacionalidades);
4-Registar as equipas com mais e menos jogadores locais por campeonato; e
5-Verificar a posição ocupada pelos jogadores portugueses escolhidos para o 11 inicial nos jogos da Liga ZON Sagres.
No período analisado, a Eredivisie (Liga Holandesa) foi aquela que apresentou um maior número de jogadores nacionais nos 11 iniciais dos seus clubes, tendo registado um valor médio de 7,3 em 2013/2014 e de 7,0 em 2012/2013. As Ligas Espanhola (Liga BBVA) e Francesa (Ligue 1) completam o pódio tendo apresentado, em média, 6,7 e 5,8 jogadores locais por 11 inicial em 2013/2014. Foram também consideradas a Liga Alemã (Bundesliga), a Liga Belga (Jupiler Pro League), a Liga Inglesa (Barclays Premier League), a Liga Italiana (Serie A) e a Liga Portuguesa (Liga ZON Sagres).
O estudo completo pode ser consultado em baixo.
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/Nacionalidades_no_11_Inicial.pdf” save=”0″]
Este estudo foi discutido no programa Maisfutebol, da TVI24, no dia 18 de Outubro de 2013.
[youtube id=”reGx-AuMa9I”]
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Tipicamente, determinadas ligas apresentam uma rotação de jogadores entre clubes internos e externos bastante significativa. Esta situação tende a suceder sobretudo em ligas consideradas menos competitivas e que seguem uma estratégia de formação e exportação de atletas.
Neste sentido, o Football Industry comparou o 11 inicial apresentado pelos clubes na última jornada de 2012/2013 com a equipa que entrou em campo na primeira jornada de 2013/2014. Foram analisadas as seguintes competições: Bundesliga (Alemanha), Liga BBVA (Espanha), Ligue 1 (França), Eredivisie (Holanda), Barclays Premier League (Inglaterra) e Liga ZON Sagres (Portugal).
RESUMO
Em termos gerais, as ligas espanhola e portuguesa apresentam o maior número médio de alterações no 11 inicial, sendo estas referentes, sobretudo, a jogadores que não faziam parte dos plantéis em 2012/2013.
A Bundesliga e a Barclays Premier League, consideradas, neste momento, as mais competitivas, apresentam o valor médio de alterações no 11 inicial mais baixo, distribuído igualmente entre jogadores que já faziam parte dos plantéis e novas contratações para 2013/2014.
[table id=271 /]
IMPACTO DE UM NOVO TREINADOR
Analisando o impacto da chegada de um novo treinador no início de 2013/2014, observa-se que, em termos médios, apenas na Holanda e em Portugal esta situação originou um maior número de alterações face ao 11 inicial apresentado na última jornada da época anterior.
[table id=272 /]
[table id=273 /]
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/Alterações_11_Inicial1.pdf” save=”0″]
Este estudo foi discutido no programa Maisfutebol, da TVI24, no dia 23 de Agosto de 2013.
[youtube id=”cgW0Yi74h0U”]
NOTAS: 1.Apenas foram consideradas as equipas que permaneceram na divisão em análise entre as épocas 12/13 e 13/14; 2.As contratações incluem regressos de empréstimo; 3.Sascha Lewandowski saiu da equipa técnica do Bayer Leverkusen. Contudo, permaneceu Sami Hyypia; 4.No caso da liga holandesa foram incluídos na análise os jogos realizados no play-off; 5.A Serie A italiana não foi incluída dado apenas se iniciar no dia 25 de Agosto.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry