Artigos

A permanente exportação de jovens atletas portugueses ao longo das épocas demonstra que os clubes portugueses têm assumido fundamentalmente um modelo de negócio assente na formação para posterior venda dos jogadores a clubes tendencialmente com maior capacidade financeira.

Até hoje são inúmeros os casos, tendo os últimos sido as mudanças de Francisco Trincão para o FC Barcelona proveniente do SC Braga por 31 milhões de Euros e de João Félix para o Atlético de Madrid proveniente do SL Benfica por 126 milhões de Euros. Um dos casos mais memoráveis será, porventura, a venda de Cristiano Ronaldo por parte do Sporting CP ao Manchester United FC por 19 milhões de Euros em 2003.

Na maioria dos casos, os jogadores surgem a espaços nas equipas principais, jogando alguns minutos durante uma época, sendo posteriormente vendidos. A selecção portuguesa é disso exemplo: no último compromisso oficial realizado em Novembro de 2019 no Luxemburgo, dos 23 jogadores convocados por Fernando Santos, apenas 3 jogam em Portugal (Danilo Pereira, Pizzi e Rúben Dias) e existem atletas que cumpriram a sua primeira época de sénior no estrangeiro (Danilo Pereira e Bruno Fernandes) ou saíram ao fim de apenas uma época na equipa principal (Bernardo Silva, Bruma, Cristiano Ronaldo, João Cancelo e Rúben Semedo) sendo vendidos ou emprestados a clubes estrangeiros. Situações como as de Rui Patrício e João Moutinho são cada vez mais raros (12 e 9 épocas no clube de formação, respectivamente).

Assim, será a utilização dos jogadores das camadas jovens uma real aposta por parte dos clubes da Liga NOS? O Football Industry procurou responder a esta questão analisando os 562 jogadores que participaram nos 306 jogos da liga portuguesa de 2019/2020. No total, foram utilizados 82 jogadores com formação no clube onde actuaram em 2019/2020 num total de 48.290 minutos.

Em termos médios, os 18 clubes da Liga NOS utilizaram 5 jogadores formados no clube num plantel de 31 atletas tendo cada um dos 5 jogadores actuado durante 610 minutos.

A tabela em baixo apresenta os principais dados. Por um lado, o Sporting CP, com a entrada de Rúben Amorim, apresentou o maior número de jogadores da formação utilizados (13) lançando vários nos últimos jogos da Liga NOS. No entanto, foi o SL Benfica que, no global, mais minutos proporcionou aos seus 8 atletas (8.230) tendo Rúben Dias sido o mais utilizado (2.970). De uma outra perspectiva, o FC Porto apresentou a maior percentagem de jogadores da formação face ao total de jogadores utilizados (39%).

A par da aposta no lançamento de jovens por clubes como o SL Benfica, FC Porto, Sporting CP, SC Braga, Boavista FC e Belenenses SAD, existem projectos que não contemplam a formação, nomeadamente, o do FC Famalicão, Moreirense FC e Portimonense SC.

Finalmente, verifica-se que, à medida que nos centramos nos clubes que ocuparam a segunda metade da tabela classificativa, o número total de jogadores utilizados durante a época é tendencialmente superior.

Com o final da Liga NOS conquistada pelo FC Porto e com Carlos Vinicius do SL Benfica como principal artilheiro, apresentamos-lhe a relação entre a valorização dos plantéis e a posição alcançada no campeonato bem como o impacto na referida valorização devido à pandemia do COVID-19.

O grande vencedor nesta análise é, sem dúvida, o Gil Vicente FC ao alcançar a 10ª posição no campeonato apresentando o plantel com o menor valor de mercado (5 milhões de Euros em 07/2019 e 10 milhões em 07/2020). Para este feito, muito contribuiram as boas exibições de Henrique Gomes, Sandro Lima (10 golos marcados na Liga) e Ygor Nogueira.

O FC Famalicão destacou-se igualmente alcançando a 6ª posição no campeonato com o 12º plantel mais valorizado no início da competição. No clube de Famalicão destacaram-se fundamentalmente Fábio Martins com 12 golos marcados, Diogo Gonçalves, Pedro Gonçalves e Toni Martinez com 10 golos marcados.

Por outro lado, a grande desilusão acabou por ser o Portimonense SC que, com um plantel actualmente avaliado em cerca de 17 milhões de Euros e o 6º mais valioso no início da temporada, não foi capaz de abandonar o 17º lugar da liga portuguesa e irá competir na segunda divisão em 2020/2021.

Valores de mercado correspondentes a 15/07/2019 e 15/07/2020.

Desvalorização COVID-19 – diferença entre o valor de mercado a 01/04/2020 e 15/06/2020.

Valores em milhões de Euros.

Com a decisão de todos os jogos a partir da 25ª jornada serem realizados à porta fechada, apesar de ainda faltarem cumprir 3 jornadas para o final do campeonato, o Football Industry apresenta-lhe o ranking de assistências nos estádios da edição de 2019/2020 da Liga NOS.

Face a este novo paradigma, os clubes realizaram apenas 12 jogos com público com excepção do FC Paços de Ferreira com 13 e do Portimonense com 11. Este facto, levou a uma perda estimada de cerca de 1 milhão de espectadores com o consequente impacto nas receitas de bilhética e quotizações dos clubes.

Tal como nas épocas anteriores, as disparidades entre os chamados “3 Grandes” (SL Benfica, FC Porto e Sporting CP) são assinaláveis. Na época que ainda decorre, os três clubes registaram 59% do total de espectadores da competição com uma média de 39.446 adeptos por jogo e uma taxa de ocupação média de 71%. Estes números contrastam com os dos restantes 15 clubes da Liga NOS: registaram 41% do total de espectadores da competição, uma média de 5.479 adeptos por jogo e uma taxa média de ocupação de 44%.

A KPMG Football Benchmark divulgou esta quinta-feira a sua 5ª edição do relatório sobre o valor económico dos clubes referente a Janeiro de 2020. Deste modo, devido à crise causada pela pandemia do vírus COVID-19, estes valores terão tendência para descer devido aos necessários ajustes do mercado.

À semelhança dos relatórios anteriores, Real Madrid e Manchester United ocupam os dois primeiros lugares do ranking seguidos pelo Barcelona que passou a ocupar a terceira posição que pertencia ao Bayern Munchen, clube que em 27 anos nunca apresentou resultados financeiros negativos.

Outra novidade desta edição prende-se com a inexistência de clubes da Serie A no Top-10 uma vez que a Juventus caiu para o 11º posto.

O Galatasaray foi o clube que mais cresceu face ao ano anterior (49%) seguido do Paris Saint-Germain e Internazionale.

Por outro lado, o Real Madrid assume o 1º lugar pela terceira vez desde 2016 sobretudo devido às três UEFA Champions League conquistadas e um crescimento de 41% nas receitas comerciais. Já o Manchester United manteve o 2º posto devido à força da sua marca e um EBIT acumulado significativo. No 3º lugar, o Barcelona registou um crescimento de 50% nas receitas operacionais e de 52% nas receitas comerciais desde 2016 levando-o assim a subir um lugar face ao ano passado.

No conjunto dos 32 clubes que fazem parte deste ranking, entre 2016 e 2020, o seu valor cresceu sempre (51% acumulado) principalmente devido a um aumento de 44% nas receitas operacionais ao longo deste período. Todas as rúbricas de receitas aumentaram, sendo as receitas televisivas o principal destaque com um incremento de 65% enquanto que as receitas de matchday e comerciais cresceram 22% e 39%, respectivamente. Outro facto importante, passa pela decrescente dependência de 25 dos 32 clubes face às receitas de matchday.

Simultaneamente é importante referir que, ao longo das 5 edições deste relatório, o peso do Top-10 no total do valor económico dos 32 clubes decresceu 4% cifrando-se actualmente nos 66%.

Relativamente aos clubes, em termos percentuais, desde 2016, o Olympique Lyonnais foi o clube cujo valor mais cresceu (193%) seguido do Tottenham e Internazionale. Em termos absolutos, o Liverpool foi quem mais viu crescer o seu valor económico (1.385 milhões de Euros). Por outro lado, o AC Milan foi o único a perder valor ao longo dos anos. No que respeita aos resultados financeiros (EBIT), o Tottenham é o clube de destaque com um valor acumulado de 439 milhões de Euros.

À porta do ranking de 32 clubes de 2020, ficaram o Celtic FC (Escócia), PSV Eindhoven (Holanda), Olympique de Marseille e AS Monaco (França), Fenerbahçe SK (Turquia) e Sporting CP (Portugal).

Ranking do Valor Económico (Top-32)

 

Ranking de Variação do Valor Económico dos Clubes (2016-2020)

 

Ranking de Variação do Valor Económico por País (2016-2020)

Observando os clubes que fizeram parte das edições deste relatório entre 2016 e 2020, e agregando-os pelo país a que pertencem, verifica-se que o valor dos clubes da Ligue 1 tem sido que mais tem subido (74%). Já em termos absolutos, o 1º posto cabe aos clubes da Premier League (6.225 milhões de Euros).

 

Por último, entre 2016 e 2020, os clubes ingleses foram os que mais ganharam peso no total do valor do top-32, agregando 39% do mesmo em 2016 e 41% em 2020.

Siga-nos no Facebook https://www.facebook.com/FootballIndustry e no Instagram https://www.instagram.com/football.industry/

No seguimento do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Football Industry, apresentamos o ranking atualizado do número de fãs no Facebook dos clubes que competem na Liga ZON Sagres 13/14 relativo ao mês de Dezembro de 2013.
Comparativamente com o mês anterior, não se registaram quaisquer mudanças de posição.
Em termos agregados, verifica-se que o número de fãs dos clubes presentes nesta edição da Liga cresceu cerca de 3% face ao mês anterior, correspondendo a 116.400 novos seguidores (mais 19.800 que no período anterior) atingindo um total de 3.635.600 fãs.
Em relação aos clubes, o SL Benfica, o FC Porto e o Sporting CP continuam a ocupar o pódio, seguidos pela Académica, sendo que os três primeiros clubes agregam 94% do total de fãs.
Em termos percentuais, o clube que registou a taxa de crescimento mais elevada foi a Académica seguida pelo Belenenses e pelo Estoril Praia.
[table id=316 /]
Nota 1: Valores arredondados às centenas.
Nota 2: Valores recolhidos a 14 de Dezembro de 2013.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

O Football Industry publica hoje pela primeira vez um ranking que classifica a eficácia das equipas de 7 dos principais campeonatos europeus, nomeadamente, a Barclays Premier League, Ligue 1, Liga BBVA, Bundesliga, Serie A, Eredivisie e Liga ZON Sagres.
A lista apresentada em baixo foi elaborada tendo por base os golos marcados pelos clubes na respetiva liga até 10 de Novembro de 2013, inclusive, o número médio de remates por jogo e o número de jogos realizados.
Neste momento, o Borussia Monchengladbach é a equipa com o maior índice de eficácia (19,0%). No lado oposto encontram-se a Académica de Coimbra (3,7%) e o Tottenham (4,4%) de André Villas-Boas. As equipas portuguesas com o valor mais elevado até ao momento são o Sporting CP (17,2%), GD Estoril Praia (14,8%) e SL Benfica (13,6%).
Em termos agregados, a Bundesliga apresenta a maior média de eficácia de remate (12,1%) seguida da Eredivisie (11,7%), Liga BBVA (10,7%), Serie A (10,6%), Ligue 1 (10,2%), Liga ZON Sagres (9,9%) e Barclays Premier League (9,2%).
[table id=310 /]
NOTA: Dados recolhidos a 10 de Novembro de 2013.

No seguimento do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Football Industry, apresentamos o ranking atualizado do número de fãs no Facebook dos clubes que competem na Liga ZON Sagres 13/14 relativo ao mês de Novembro de 2013.
Comparativamente com o mês anterior, registou-se a subida do Belenenses à 8ª posição por troca com o Vitória FC e a passagem do Gil Vicente para o 11º lugar por troca com o Rio Ave.
Em termos agregados, verifica-se que o número de fãs dos clubes presentes nesta edição da Liga cresceu cerca de 3% face ao mês anterior, correspondendo a 96.600 novos seguidores (mais 3.800 que no período anterior) atingindo um total de 3.519.200 fãs.
Em relação aos clubes, o SL Benfica, o FC Porto e o Sporting CP continuam a ocupar o pódio, seguidos pela Académica, sendo que os três primeiros clubes agregam 94% do total de fãs.
Em termos percentuais, o clube que registou a taxa de crescimento mais elevada foi o Gil Vicente seguido pelo Belenenses e pelo Estoril Praia.
[table id=309 /]
Nota 1: Valores arredondados às centenas.
Nota 2: Valores recolhidos a 10 de Novembro de 2013.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

In the document below, we present the amounts received in the past four years by the 32 teams participating in the 2013/2014 edition of UEFA Champions League.
These values ​​allow us to assess the differences between and within groups. Thus, groups H (Barcelona, AC Milan, Ajax and Celtic) and D (Bayern Munchen, CSKA Moskva, Manchester City and Viktoria Plzen) are the ones that, in aggregate, gathered the highest amount of revenues distributed by UEFA in the last four seasons. Group G is on the opposite side (FC Porto, Zenit, Atletico Madrid and Austria Wien) gathering only 98.4 million Euros. Group D also includes the top-team with the largest share in the total group’s bonus (Bayern Munchen).
Regarding the disparity between clubs from the same group, considering the difference in the weight of each club compared with the total bonuses of the group, it appears that groups F (Arsenal, Borussia Dortmund, Olympique Marseille and Napoli) and C (SL Benfica, Olympiacos, Paris Saint-Germain and Anderlecht) are the most balanced ones. Group A (Manchester United, Shakhtar Donetsk, Bayer Leverkusen and Real Sociedad) is at the opposite side.
Check the document below for a more detailed analysis.
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/The-Clubs-of-the-2013-14-Champions-League-Group-Stage.pdf” save=”0″]
Notes: (1) For the purposes of this research, we considered the values ​​distributed by UEFA to the clubs competing in the UEFA Champions League and UEFA Europa League between 2009/10 and 2012/13, (2) The figures shown do not include market pool revenues.
Follow us on Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

 
Last July, UEFA revealed the prizes awarded to clubs that competed in the 2012/2013 editions of the UEFA Champions League (CL) and UEFA Europa League (EL).
In this context, we present an overview of the performance of the clubs that took part in these competitions between 2009/2010 and 2012/2013 (period after the process of UEFA Cup‘s rebranding).
The prizes awarded by UEFA to clubs that reach the group stage of the competition are based on the following points (2012/2013 amounts):
1.Participation bonus: the same for all clubs (8.6 million Euros in CL 12/13 and 1.3 million Euros in EL 12/13);
2.Performance bonus in the Group Stage: 1 million Euros per win and 500,000 for each draw in CL 12/13 and 200,000 per win and 100,000 for each tie in EL 12/13;
3.Market Pool: amount of the TV rights distributed according to the value of the television market of the club’s country of origin;
4.Place achieved in the Group Stage (only for EL): prize awarded to the 1st and 2nd placed teams of each group (400,000 Euros for the 1st placed and 200,000 Euros for the 2nd one in EL 12/13);
5.Round of 32 (only for EL): bonus for qualifying to this stage of the competition (200,000 Euros in EL 12/13);
6.Round of 16: bonus for qualifying to this stage of the competition (3.5 million Euros in CL 12/13 and 350,000 Euros in EL 12/13);
7.Quarter-finals: bonus for qualifying to this stage of the competition (3.9 million Euros in CL 12/13 and 450,000 Euros in EL 12/13);
8.Semi-finals: bonus for qualifying to this stage of the competition (4.9 million Euros in CL 12/13 and 1 million Euros in EL 12/13);
9.Runners-up: 6.5 million Euros in CL 12/13 and 2.5 million Euros in EL 12/13;
10.Winner: 10.5 million Euros in CL 12/13 and 5 million in EL 12/13;
11.We must also consider the Market Pool distributed to the teams that participated in EL by having reached the 3rd place in the group stage of the CL.
Thus, between 2009/10 and 2012/13, Chelsea was the club earning the largest amount (178 million Euros). In the Top 10 we can find three clubs from England (Chelsea, Manchester United and Arsenal), three from Italy (AC Milan, Internazionale and Juventus), two from Spain (Barcelona and Real Madrid) and two from Germany (Bayern Munchen and Borussia Dortmund). Regarding the Portuguese teams, FC Porto comes in the 17th place, SL Benfica in the 18th, SC Braga in the 42nd and Sporting CP in the 77th one.
In this period, 146 clubs from 34 countries took part in these competitions. When analyzing the bonus distribution by country, it turns out that England was the country raising the highest amount (647 million Euros) being represented by 11 clubs, followed by Spain with 560 million Euros and 10 clubs. Portugal comes in the 6th place with 161 million Euros and 7 clubs.
During these 4 seasons, UEFA distributed about 3,804 million Euros to the clubs that took part in the group stages and onwards of these competitions.
 
 
TOP 50 – CLUBS THAT RECEIVED MORE REVENUES FROM UEFA (09/10 to 12/13)
[table id=290 /]
REVENUES BY COUNTRY – All the participating teams between 09/10 and 12/13 (146 Clubs)
[table id=291 /]
Follow us on Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry
 

No seguimento do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Football Industry, apresentamos o ranking atualizado do número de fãs no Facebook dos clubes que competem na Liga ZON Sagres 13/14 relativo ao mês de Outubro de 2013.
Comparativamente com o mês anterior, não se registaram quaisquer mudanças de posição entre os clubes da Liga.
Em termos agregados, verifica-se que o número de fãs dos clubes presentes nesta edição da Liga cresceu cerca de 3% face ao mês anterior, correspondendo a 92.800 novos seguidores (mais 13.000 que no período anterior) atingindo um total de 3.422.600 fãs.
Em relação aos clubes, o SL Benfica, o FC Porto e o Sporting CP continuam a ocupar o pódio, seguidos pela Académica, sendo que os três primeiros clubes agregam 94% do total de fãs.
Em termos percentuais, o clube que registou a taxa de crescimento mais elevada foi o Belenenses seguido pelo Marítimo e pelo Estoril Praia.
[table id=289 /]
Nota 1: Valores arredondados às centenas.
Nota 2: Valores recolhidos a 12 de Outubro de 2013.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry