Artigos

Season tickets are an important part of what is considered the core business of football clubs: matchday revenues. Although this flow has been losing weight compared to commercial revenues and television rights (in 2011/2012 only represented between 14% and 28% of Deloitte Football Money League’s clubs figures), especially in the case of most renowned clubs, the amounts received for season tickets are very important in an early stage of the season (in most cases are paid in cash) and provide a minimum guarantee of attendance throughout the year.
Thus, Football Industry gathered the minimum prices of season tickets for 2013/2014 of the clubs competing in the following leagues: Liga ZON Sagres (Portugal), Bundesliga (Germany), Serie A (Italy), Barclays Premier League (England) and Liga BBVA (Spain).
Portuguese top division clubs charge a minimum average price of 81 Euros for their season seats, a substantially lower amount compared to the ones charged in the other countries included in this analysis. While the Italian and Spanish clubs present minimum average prices and average occupation rates relatively similar (see table below), the English and German ones, despite having high and similar average occupation rates, practice different prices (see table below). This situation has to do with a different strategy and mindset as the clubs from Bundesliga seek to be fully oriented to their fans and, thus, do not follow policies of price increases. This mindset allows, for example, a club like Bayern Munchen to offer a season seat for only 120 Euros.
Regarding the financial impact of buying a season ticket based on the monthly GDP per capita (purchasing power parity), we can conclude that in the Portuguese case, the average minimum price represents 5% of this indicator while in England a fan would have to make an investment equivalent to 25% of the country’s monthly GDP per capita.
Simultaneously, the lower occupation rate presented by Portuguese clubs requires them to perform adjustments on prices. For example, Portugal has 62% of Germany’s GDP per capita while its season tickets minimum average price only corresponds to 37% of the average Bundesliga’s amount (average occupation rate: 40% vs. 92%).
The substantially higher prices charged in England, Italy, Spain and Germany are also related to the fact that the clubs from these countries tend to include other matches besides the national league in their season tickets offer (e.g. national cup matches).
Minimum Average Prices and their Financial Impact
[table id=294 /]
LIST OF CLUBS’ MINIMUM SEASON TICKETS PRICES
 
Notes: (1) Exchange Rates as at August 06, 2013: 1 USD = 0,751496 EUR; 1 GBP = 1,15813 EUR; (2) Were only considered minimum adult standard prices (without any discounts); (3) No prices were considered for season seats renewal.

 
Last July, UEFA revealed the prizes awarded to clubs that competed in the 2012/2013 editions of the UEFA Champions League (CL) and UEFA Europa League (EL).
In this context, we present an overview of the performance of the clubs that took part in these competitions between 2009/2010 and 2012/2013 (period after the process of UEFA Cup‘s rebranding).
The prizes awarded by UEFA to clubs that reach the group stage of the competition are based on the following points (2012/2013 amounts):
1.Participation bonus: the same for all clubs (8.6 million Euros in CL 12/13 and 1.3 million Euros in EL 12/13);
2.Performance bonus in the Group Stage: 1 million Euros per win and 500,000 for each draw in CL 12/13 and 200,000 per win and 100,000 for each tie in EL 12/13;
3.Market Pool: amount of the TV rights distributed according to the value of the television market of the club’s country of origin;
4.Place achieved in the Group Stage (only for EL): prize awarded to the 1st and 2nd placed teams of each group (400,000 Euros for the 1st placed and 200,000 Euros for the 2nd one in EL 12/13);
5.Round of 32 (only for EL): bonus for qualifying to this stage of the competition (200,000 Euros in EL 12/13);
6.Round of 16: bonus for qualifying to this stage of the competition (3.5 million Euros in CL 12/13 and 350,000 Euros in EL 12/13);
7.Quarter-finals: bonus for qualifying to this stage of the competition (3.9 million Euros in CL 12/13 and 450,000 Euros in EL 12/13);
8.Semi-finals: bonus for qualifying to this stage of the competition (4.9 million Euros in CL 12/13 and 1 million Euros in EL 12/13);
9.Runners-up: 6.5 million Euros in CL 12/13 and 2.5 million Euros in EL 12/13;
10.Winner: 10.5 million Euros in CL 12/13 and 5 million in EL 12/13;
11.We must also consider the Market Pool distributed to the teams that participated in EL by having reached the 3rd place in the group stage of the CL.
Thus, between 2009/10 and 2012/13, Chelsea was the club earning the largest amount (178 million Euros). In the Top 10 we can find three clubs from England (Chelsea, Manchester United and Arsenal), three from Italy (AC Milan, Internazionale and Juventus), two from Spain (Barcelona and Real Madrid) and two from Germany (Bayern Munchen and Borussia Dortmund). Regarding the Portuguese teams, FC Porto comes in the 17th place, SL Benfica in the 18th, SC Braga in the 42nd and Sporting CP in the 77th one.
In this period, 146 clubs from 34 countries took part in these competitions. When analyzing the bonus distribution by country, it turns out that England was the country raising the highest amount (647 million Euros) being represented by 11 clubs, followed by Spain with 560 million Euros and 10 clubs. Portugal comes in the 6th place with 161 million Euros and 7 clubs.
During these 4 seasons, UEFA distributed about 3,804 million Euros to the clubs that took part in the group stages and onwards of these competitions.
 
 
TOP 50 – CLUBS THAT RECEIVED MORE REVENUES FROM UEFA (09/10 to 12/13)
[table id=290 /]
REVENUES BY COUNTRY – All the participating teams between 09/10 and 12/13 (146 Clubs)
[table id=291 /]
Follow us on Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry
 

Esta quarta-feira decorrerá no Etihad Stadium o duelo entre Manchester City e Bayern Munchen a contar para a 2ª jornada do Grupo D da UEFA Champions League 2013/14. Como já vem sendo hábito, o Football Industry apresenta um conjunto de quadros comparativos entre ambos os clubes dividido em três áreas distintas: Finanças, Desempenho Desportivo e Web.
FINANÇAS
No que diz respeito às receitas dos dois clubes, o Bayern Munchen apresenta uma posição mais fortalecida ocupando a 4ª posição da Deloitte Football Money League 2013 comparativamente com o 7ª posto do Manchester City. Relativamente à estrutura de receitas dos dois clubes, verifica-se que o City apresenta uma maior dependência face às receitas de direitos televisivos enquanto que a estrutura dos alemães assenta sobretudo nas receitas comerciais. Contudo, nas últimas dez épocas, o Manchester City tem conseguido alcançar um crescimento assinalável, devido ao esforço de crescimento do clube e dos seus proprietários, mais do que triplicando as suas receitas. Verifica-se também que o Bayern Munchen tem alcançado melhores resultados nas competições da UEFA tendo por isso arrecadado receitas superiores através desta via (é o actual vencedor da UEFA Champions League). Simultaneamente, os bávaros apresentam uma marca e plantel mais valiosos e melhores assistências.
[table id=287 /]
DESEMPENHO DESPORTIVO
O Bayern Munchen apresenta também um maior domínio na componente desportiva tendo vencido 50 competições nacionais e 10 internacionais comparativamente com os 22 troféus detidos pelo Manchester City. Relativamente aos restantes indicadores de desempenho desta época, apresentados na tabela em baixo, verifica-se também um maior domínio por parte do clube alemão.
[table id=288 /]
WEB
No que diz respeito à componente online, apesar de o Bayern Munchen apresentar um maior número de fãs no Facebook (o Manchester City tem 74% dos fãs dos bávaros) o clube inglês domina nas restantes redes sociais. Em relação aos websites dos dois clubes, atualmente, o mcfc.co.uk está melhor colocado a nível internacional enquanto que o fcbayern.telekom.de domina a nível local.
[table id=286 /]
Notas: (1) Dados recolhidos a 29 de Setembro de 2013; (2) Na contagem dos troféus foram consideradas as seguintes competições: Campeonato do Mundo de Clubes, UEFA Champions League, Supertaça Europeia, Taça das Taças, Taça Intercontinental, Taça UEFA, Liga Inglesa, Supertaça de Inglaterra, Taça da Liga Inglesa, Taça de Inglaterra, Liga Alemã, Taça da Alemanha, Supertaça da Alemanha e Taça da Liga Alemã; (3) Não foram contabilizados troféus regionais.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Na passada quinta-feira, realizou-se o sorteio da fase de grupos da edição de 2013/2014 da UEFA Champions League. Neste sentido, o Football Industry recolheu os prémios de desempenho recebidos pelos clubes participantes nas competições da UEFA entre 2009/2010 e 2012/2013 (não incluem as receitas de market pool).
No documento em baixo, poderá consultar os valores recebidos pelas 32 equipas presentes na fase de grupos da UEFA Champions League 2013/2014 nos últimos quatro anos.
Estes valores permitem-nos também analisar as disparidades entre os grupos sorteados e entre as equipas de cada grupo. Assim, os grupos H (Barcelona, AC Milan, Ajax e Celtic) e D (Bayern Munchen, CSKA Moskva, Manchester City e Viktoria Plzen) são aqueles que, em termos agregados, reúnem o maior montante de prémios da UEFA recebidos nos últimos quatro anos. Paralelamente, o grupo G encontra-se no lado oposto (FC Porto, Zenit, Atlético de Madrid e Austria Wien) reunindo apenas 98,4 milhões de Euros. O grupo D inclui também o cabeça-de-série com o maior peso no total de prémios do seu grupo (Bayern Munchen).
Relativamente à disparidade entre os clubes do mesmo grupo, considerando a diferença do peso de cada clube face ao total de prémios do seu grupo, verifica-se que os grupos F (Arsenal, Borussia Dortmund, Olympique Marseille e Napoli) e C (SL Benfica, Olympiacos, Paris Saint-Germain e Anderlecht) são os mais equilibrados. O grupo A (Manchester United, Shakhtar Donetsk, Bayer Leverkusen e Real Sociedad) encontra-se no polo contrário.
No documento em baixo poderá consultar uma análise mais detalhada.
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/Prémios_Equipas_Fase_Grupos_CL_13-14.pdf” save=”0″]
Notas: (1) Foram considerados os valores atribuídos pela UEFA aos clubes que participaram na UEFA Champions League e UEFA Europa League entre 2009/10 e 2012/13; (2) Os valores apresentados não incluem as receitas de market pool.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Os lugares anuais são uma parte importante daquele que é considerado o negócio base dos clubes: as receitas de bilheteira. Embora este fluxo tenha vindo a perder peso face às receitas comerciais e de direitos televisivos (em 2011/2012 correspondeu a apenas entre 14% e 28% das receitas dos clubes da Deloitte Football Money League 2013), sobretudo nos clubes de maior renome, os montantes recebidos relativos aos lugares anuais são um encaixe muito importante na fase inicial da época (na grande maioria das vezes são pagos a pronto) e constituem uma garantia mínima de assistência ao longo da época.
Neste sentido, o Football Industry recolheu os preços mínimos dos lugares anuais de 2013/2014 dos clubes que competem nas seguintes ligas: Liga ZON Sagres (Portugal), Bundesliga (Alemanha), Serie A (Itália), Barclays Premier League (Inglaterra) e Liga BBVA (Espanha).
Os clubes da principal divisão portuguesa cobram, no mínimo, 81 Euros pelos seus lugares anuais sendo este um valor substancialmente mais baixo comparativamente com os montantes praticados nos restantes países analisados. Enquanto os clubes italianos e espanhóis apresentam preços mínimos médios e taxas médias de ocupação relativamente semelhantes (tabela em baixo), os ingleses e alemães, apesar de apresentarem taxas médias de ocupação muito elevadas e similares, praticam preços diferentes (tabela em baixo). Este aspecto deve-se a uma questão estratégica e de mentalidade dado que os clubes da Bundesliga procuram ser totalmente orientados para os seus adeptos e, desse modo, não seguem políticas de aumento de preços. Esta prática permite, por exemplo, a um clube como o Bayern Munchen disponibilizar um lugar anual por apenas 120 Euros.
Relativamente ao impacto financeiro da aquisição de um lugar anual, e tendo por base o PIB per capita mensal (paridade do poder de compra), verifica-se que no caso português, o preço mínimo médio representa 5% deste indicador sendo que em Inglaterra o adepto terá de fazer um investimento equivalente a 25% do PIB per capita mensal inglês.
Simultaneamente, a taxa de ocupação mais reduzida apresentada pelos clubes portugueses obriga-os a realizarem ajustamentos nos preços praticados. A título de exemplo, Portugal tem 62% do PIB per capita da Alemanha embora o preço mínimo médio dos lugares anuais corresponda a apenas 37% do montante médio da Bundesliga (taxa de ocupação: 40% vs. 92%).
Os preços substancialmente superiores praticados em Inglaterra, Itália, Espanha e Alemanha estão também relacionados com o facto de os clubes destes campeonatos optarem por incluir outros jogos além dos referentes ao campeonato nacional na sua oferta base de lugar anual (exemplo: jogos da Taça nacional).
Preços Mínimos Médios e Impacto – Portugal, Alemanha, Itália, Inglaterra e Espanha
[table id=268 /]
Portugal – Preços de 12/13 vs. Preços de 13/14
Analisando isoladamente os 14 clubes portugueses que permaneceram na Liga ZON Sagres entre as épocas 12/13 e 13/14, verifica-se que o preço mínimo médio praticado decresceu de 77 para 73 Euros (-5%). De facto, entre 11/12 e 12/13, 8 dos 14 clubes analisados, registaram taxas médias de ocupação mais baixas, o que, associado às condições económicas actuais, tem levado a um ajustamento progressivo dos preços cobrados. Contudo, com a entrada do Belenenses e do Arouca, o valor de 73 Euros sobe para 83 Euros sendo, deste modo, superior ao da época passada (com Beira-Mar e Moreirense).
[table id=269 /]
Clique aqui para ver a LISTA DOS PREÇOS MÍNIMOS DOS LUGARES ANUAIS DE TODOS OS CLUBES ANALISADOS
Notas: (1) Taxas de Câmbio 06 de Agosto 2013: 1 USD = 0,751496 EUR; 1 GBP = 1,15813 EUR; (2) Foram apenas considerados preços mínimos normais de adulto (sem desconto); (3) Não foram considerados preços de renovação do lugar anual; (4) O “Preço Mínimo Médio Global 12/13” no valor de 77 Euros apenas inclui os 14 clubes que permaneceram na Liga ZON Sagres da época 12/13 para a 13/14.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

A UEFA revelou, esta semana, os prémios atribuídos aos clubes que disputaram a edição de 2012/2013 da UEFA Champions League (CL) e da UEFA Europa League (EL).
Neste âmbito, apresentamos de seguida um balanço da prestação dos clubes participantes nestas competições entre as épocas 2009/2010 e 2012/2013 (período após o processo de rebranding da UEFA Cup).
Os prémios atribuídos pela UEFA aos clubes que alcançam a fase de grupos destas competições, assentam nos seguintes pontos (valores de 2012/2013):
1. Prémio de participação: igual para todos os clubes (8,6 milhões de Euros na CL 12/13 e 1,3 milhões de Euros na EL 12/13);
2. Prémios pela performance na Fase de Grupos: 1 milhão de Euros por cada vitória e 500 mil por cada empate na CL 12/13 e 200 mil por cada vitória e 100 mil por cada empate na EL 12/13;
3. Market Pool: valor de direitos televisivos distribuídos de acordo com o valor do mercado televisivo do país de origem do clube;
4. Classificação alcançada na Fase de Grupos (apenas na EL): prémio atribuído ao 1º e 2º classificados de cada grupo (400 mil Euros para o 1º classificado e 200 mil Euros para o 2º);
5. Dezasseis-avos-de-final (apenas na EL): prémio pela passagem a esta fase da prova (200 mil Euros na EL 12/13);
6. Oitavos-de-final: prémio pela passagem a esta fase da prova (3,5 milhões de Euros na CL 12/13 e 350 mil Euros na EL 12/13);
7. Quartos-de-final: prémio pela passagem a esta fase da prova (3,9 milhões de Euros na CL 12/13 e 450 mil Euros na EL 12/13);
8. Meias-finais: prémio pela passagem a esta fase da prova (4,9 milhões de Euros na CL 12/13 e 1 milhão de Euros na EL 12/13);
9. Finalista vencido: 6,5 milhões de Euros na CL 12/13 e 2,5 milhões de Euros na EL 12/13;
10. Vencedor: 10,5 milhões de Euros na CL 12/13 e 5 milhões na EL 12/13;
11. Há também que considerar o Market Pool distribuído pelas equipas que participaram na EL provenientes da CL por terem atingido o 3º lugar na fase de grupos da desta competição.
Desta forma, no período em análise, o Chelsea foi o clube que arrecadou o maior montante entre 2009 e 2013 (178 milhões de Euros). No Top 10 encontram-se três clubes de Inglaterra (Chelsea, Manchester United e Arsenal), três de Itália (AC Milan, Internazionale e Juventus), dois de Espanha (Barcelona e Real Madrid) e dois da Alemanha (Bayern Munchen e Borussia Dortmund). No que respeita às equipas portuguesas, o FC Porto surge no 17º lugar, o SL Benfica em 18º, o SC Braga em 42º e o Sporting CP em 77º.
No período em análise, participaram 146 clubes de 34 países diferentes nestas competições. Analisando a distribuição dos prémios por país, verifica-se que a Inglaterra foi o país que arrecadou o montante mais elevado (647 milhões de Euros) tendo sido representada por onze clubes, seguida da Espanha com 560 milhões de Euros e representada por dez clubes. Portugal, encontra-se no sexto lugar com 161 milhões de Euros tendo sido representado por sete clubes.
No período em análise, a UEFA distribuiu cerca de 3.804 milhões de Euros pelos clubes participantes na fase de grupos em diante destas competições.
TOP 50 – CLUBES QUE RECEBERAM MAIS RECEITAS DA UEFA (09/10 a 12/13)
[table id=263 /]
RESUMO POR PAÍS – Todos os Clubes Participantes entre 09/10 e 12/13 (146 Clubes)
[table id=264 /]
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

Na edição de 2011/2012 da Bundesliga, a Liga Alemã, apenas o Schalke 04 terminou o campeonato na posição correspondente à que ocupou no ranking por salário médio anual pago por jogador nessa época.
De uma perspetiva positiva, o Hannover 96 conseguiu alcançar o 7º posto na competição registando o 13º valor salarial mais elevado entre os 18 clubes da liga alemã. Na perspetiva oposta, o Hamburger e o Koln foram os casos de menor sucesso ficando apenas na 15ª e 17ª posições com o 9º e 11º salários anuais médios por jogador mais elevados, respetivamente.
Globalmente, o salário anual médio por jogador na Bundesliga decresceu 7% entre 2010/2011 e 2011/2012 passando de cerca de 1,63 para 1,38 milhões de Euros. Em 6 dos 16 clubes que se mantiveram na principal divisão do futebol alemão, registou-se uma subida do valor médio pago, sendo o Wolfsburg o caso mais significativo (crescimento de 33%).
Finalmente, é também de salientar a grande diferença entre o valor médio do Bayern Munchen comparativamente com os restantes clubes. O valor do Bayern foi 7,1 vezes superior ao do Augsburg, clube que apresenta o montante mais baixo.
[table id=251 /]
Nota: Taxa de câmbio a 14 de Junho de 2013: 1 GBP = 1,1771 EUR

After the huge on-pitch success of Bayern Munchen this season, the German club took the lead of the 2013 edition of the ranking compiled by Brand Finance which includes the 50 world’s most valuable football brands.
Inversely, Manchester United went on to take the second place in the ranking being, however, beyond Real Madrid, the only team with an AAA+ rating assigned by Brand Finance.
Spanish and Italian clubs have seen their growth be affected by adverse economic conditions. On the other hand, Brazilian and Turkish clubs registered significant growth rates associated with the emerging economies of their countries and the passion of their supporters.
The average growth of the 50 brands within the ranking was 7% adding together a total value of 6,647 million Euros. Currently, the 50 clubs represented are associated with 10 different suppliers of sports equipment (the lead belongs to Adidas with 18 clubs followed by Nike with 14).
[table id=239 /]
The ranking includes clubs from ten different countries being England and Germany the two ones most represented (14 and 8 clubs respectively) aggregating more than 50% of the total value of the 50 brands.
[table id=238 /]
Note: Exchange rate May 29, 2013: 1 USD = 0,772821 EUR.

Após o enorme sucesso desportivo do Bayern Munchen esta temporada, o clube alemão assumiu a liderança da edição de 2013 do ranking elaborado pela Brand Finance que integra os 50 clubes com as marcas mais valiosas do futebol mundial.
No sentido inverso, o Manchester United passou a ocupar o segundo lugar do ranking sendo, no entanto, além do Real Madrid, a única equipa com um rating AAA+ atribuído pela Brand Finance.
Os clubes espanhóis e italianos viram o seu crescimento ser afetado por condições económicas adversas. Por outro lado, os clubes brasileiros e turcos registaram taxas de crescimento significativas associadas às economias emergentes dos seus países e à paixão dos seus adeptos.
O crescimento médio das 50 marcas que integram o ranking foi de 7% somando, em conjunto, um valor total de 6.647 milhões de Euros. Atualmente, os 50 clubes representados estão associados a 10 diferentes fornecedores de equipamento desportivo (a liderança pertence à Adidas com 18 clubes seguida da Nike com 14).
[table id=235 /]
O ranking inclui clubes originários de dez países diferentes sendo a Inglaterra e a Alemanha os dois mais representados (14 e 8 clubes respetivamente) agregando mais de 50% do valor total das 50 marcas.
[table id=236 /]
Nota: Taxa de câmbio 29 Maio de 2013: 1 USD = 0,772821 EUR.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

A Final da UEFA Champions League trata-se do evento desportivo anual com maior audiência televisiva e através das plataformas de media social a nível mundial.
A vitória do FC Bayern München contra o Borussia Dortmund foi transmitida em mais de 200 países para uma audiência global média estimada em 150 milhões e um alcance global de mais de 360 milhões de telespectadores.
O site UEFA.com registou um aumento de tráfego, em termos homólogos, de 13% em visitas e 25% em número de visitantes na página inicial da competição.
A UEFA recorreu também a plataformas digitais chave, tais como o Twitter, o Facebook, o Google+ e o YouTube, ampliando o seu número de seguidores nas redes socias para cerca de 22 milhões.
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry