Nas últimas épocas tem sido discutido nos diversos campeonatos europeus, a presença de um cada vez menor número de jogadores nacionais nos 11 iniciais das equipas, tendo este facto consequências negativas para as respectivas selecções nacionais.
O Football Industry analisou os 11 iniciais de 148 clubes de 8 campeonatos diferentes nas 3 primeiras jornadas de 2012/2013 e 2013/2014 com o intuito de:
1-Verificar o número médio de jogadores nacionais nas equipas titulares;
2-Analisar a disparidade entre os clubes com maior e menor reputação no que respeita à aposta em jogadores locais;
3-Registar a equipa-tipo de cada campeonato (alinhadas por nacionalidades);
4-Registar as equipas com mais e menos jogadores locais por campeonato; e
5-Verificar a posição ocupada pelos jogadores portugueses escolhidos para o 11 inicial nos jogos da Liga ZON Sagres.
No período analisado, a Eredivisie (Liga Holandesa) foi aquela que apresentou um maior número de jogadores nacionais nos 11 iniciais dos seus clubes, tendo registado um valor médio de 7,3 em 2013/2014 e de 7,0 em 2012/2013. As Ligas Espanhola (Liga BBVA) e Francesa (Ligue 1) completam o pódio tendo apresentado, em média, 6,7 e 5,8 jogadores locais por 11 inicial em 2013/2014. Foram também consideradas a Liga Alemã (Bundesliga), a Liga Belga (Jupiler Pro League), a Liga Inglesa (Barclays Premier League), a Liga Italiana (Serie A) e a Liga Portuguesa (Liga ZON Sagres).
O estudo completo pode ser consultado em baixo.
[gview file=”http://football-industry.com/wp-content/uploads/Nacionalidades_no_11_Inicial.pdf” save=”0″]
Este estudo foi discutido no programa Maisfutebol, da TVI24, no dia 18 de Outubro de 2013.
[youtube id=”reGx-AuMa9I”]
Siga-nos no Facebook! https://www.facebook.com/FootballIndustry

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *